Dez famílias estão em situação crítica, mas não quiseram sair de casa, segundo os bombeiros. Igarapé transbordou e atingiu cerca de 25 famílias da região.

Igarapé transbordou na quarta (27) e afetou mais de 20 famílias do interior do Acre (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros do Acre)

Mais de 20 famílias foram atingidas pelas águas do Igarapé Iquiri, em Senador Guiomard, após o manancial transbordar. Dos moradores afetados, apenas uma senhora quis sair do local e foi levada para casa de parentes.

Segundo o Corpo de Bombeiros do Acre, choveu aproximadamente 100 milímetros entre segunda (25) e quarta-feira.

O major do Corpo de Bombeiros do Acre Cláudio Falcão contou que cerca de 25 famílias foram afetadas pela enchente. Destas, 10 estão em situação mais grave, porém, não quiseram deixar as casas. Apenas uma família foi removida pelos bombeiros e levada para casa de parentes.

"Lá é uma vila, formada ao redor da empresa Peixes das Amazônia. Foram atingidas 25 famílias e cerca de 10 estão com gravidade maior. Removemos apenas uma família e as demais não quiseram sair", confirmou.

Águas estão perto de chegar à altura da ponte que corta o igarapé no interior do Acre (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Em visita a região, uma equipe do Jornal do Acre 2ª edição registrou imagens da situação e mostrou que falta pouco para a água atingir o pilar da ponte que corta o igarapé. Um dos moradores chegou a encostar barcos na casa dele, montou uma barraca e improvisou para sobreviver a enchente.

"Não tem outra situação. É olhar, pedir a Deus que as águas baixem e volte tudo ao normal. E a vida continua", falou o Edmar Teixeira, morador da região.

O caminhoneiro Joel Oliveira disse que nunca tinha visto o igarapé nessa situação. Com a enchente, Oliveira falou que pediu ajuda de outro caminhoneiro para descargar a mercadoria e não ficar ilhado na região.

"Choveu demais e a gente não espera uma coisa dessas. Agora pra descarregar o caminhão, tiveram até de abrir um buraco. O caminhão não passa, eles vão encostar um outro caminhão para fazer o transbordo da carga. É o único meio pra eu ir embora", explicou.

Do G1 Acre