Aedes Aegypti: Sesacre alerta para o combate ao mosquito

O inverno amazônico chegou. As chuvas constantes, características deste período do ano, não estão dando trégua na reta final de 2017.

No setor de saúde, a época chuvosa traz uma preocupação. Trata-se de um pequeno mosquito que se aproveita do acúmulo de água para se reproduzir. O Aedes Aegypti é o responsável pela transmissão da dengue, da zika e da chikungunya.

O fato mais emblemático é que essas doenças, principalmente a dengue, que atinge milhares de pessoas todos os anos no Acre, são facilmente evitáveis. Se todos tomassem os cuidados necessários para eliminar os criadouros do mosquito, tanta gente não seria acometida com essas enfermidades.

As dicas são simples, mas, infelizmente, muitas pessoas deixam de fazê-las.

Guardar as garrafas sempre viradas para baixo, manter sempre bem tampados baldes, tonéis, piscinas e caixas d’água, cobrir pratinhos de vasos com areia, manter pneus e objetos que possam reter água sempre secos e em lugares cobertos.

É importante também evitar o acumulo de lixo e entulho nos quintais, já que eles podem se tornar locais de foco do mosquito.

“A população tem o mais importante papel no combate ao mosquito transmissor dessas doenças. A Sesacre vem apoiando de forma efetiva os municípios nas ações, mas precisamos contar com a consciência de todos para eliminar os locais que possam ser criadouros do Aedes Aegypti”, destaca Marília Carvalho, gerente do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Controle de Endemias da Secretária de Saúde do Estado (Sesacre).

Em caso de sintomas como fortes dores de cabeça, febre alta e dores musculares é importante que se dirigir a uma unidade básica de saúde mais próxima, portando um documento de identificação e o cartão do SUS.