A Frente Popular Acre sai na dianteira para as eleições de 2018. As chapas majoritárias já foram definidas e apresentadas ontem.

Os dois senadores Jorge Viana e Ney Amorim, as suplentes Nazaré e Márcia Regina e para o governo Marcus Alexandre e Emylson Farias.

Como bem observou o ex-deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB):

"Agora vem as costuras no andar de baixo", referindo-se as coligações para deputado federal e estadual.

Na verdade o principal gargalo a ser resolvido é esse, tanto na oposição como na Frente Popular.

Os deputados Manoel Morais (PSB) e Maria Ana Antônia (PROS), por exemplo, terão que entrar na chapa do PT se quiserem legenda.

Em conversa com o deputado Manoel Morais ele me disse que o PSB está tentando construir chapa própria.

Adiantou que está convidando ex-deputados estaduais que desejam voltar a política.

"É o besta", diz Macunaíma, bocejando, espichado na rede às onze horas da manhã.

A Associação dos Cabos Eleitorais do Acre (ACEA) estará juridicamente apta a trabalhar para partidos e candidatos nas próximas eleições.

No 0800, segundo um dos associados, nem para o Papa Francisco se fosse candidato.

Candidatos a deputado federal de grandes e pequenos partidos animados com as promessas dos dirigentes em Brasília.

Diz que…vai chover dinheiro do famigerado Fundo Partidário que foi engordado em R$ 1,7 bilhão.

Duvido muito!

Durante a campanha começa o desespero atrás de agiotas e bancos.

A família é que se lasca, observa Macunaíma!

O secretário-geral do PT, Cezário Braga, afirmou à Coluna que nada tem contra a deputada Leila Galvão (PT).

Segundo ele, seu trabalho é conseguir legenda para que o PT permaneça com quatro deputados na Aleac.

Acentuou que a deputada Leila é uma companheira combativa em defesa do projeto político da FPA.

Ansioso era como se encontrava ontem o secretário de Segurança Emylson Farias ao ser apresentado como vice.

A bem da verdade, sua indicação não é apenas renovação na política proposta pelo governador Tião Viana, mas o reconhecimento pela lealdade e competência.
 

Vai para Epitaciolândia? Brasiléia? Cobija, Assis Brasil ou Peru?

Muito cuidado com os buracos na pista da BR-317, apesar das obras de recuperação.

À noite o perigo é maior.

O núcleo duro da oposição partiu para esvaziar a candidatura do coronel Ulisses ao governo.

Querem isolar Tião Bocalom e o coronel Ulisses.

O convite do PMDB feito ao deputado federal Alan Rick tem esse objetivo.

Ontem um político da área federal me dizia que a vida de um candidato fica totalmente transparente, ou seja, os podres aparecem.

"Inventam coisas que a pessoa nunca fez, imaginem as que ela fez e faz", comentou.

Atenção pré-candidatos: De acordo com a legislação eleitoral é crime quem já é deputado ou pretende ser distribuir bens aos eleitores.

Caracteriza a compra de sufrágios.

Sufrágios, Macunaíma, são votos!

Dia desses um pré-candidato se reuniu com apoiadores e se surpreendeu com tantos pedidos.

"Gente, pelo amor de Deus e a Lava Jato"?!

"Que Lava Jato coisa nenhuma doutor, ninguém faz campanha sem dinheiro não".

Disseram mais:

"Se o senhor pensa que vai ganhar a eleição só na conversa tá muito enganado".

É por essas e outras…

Os procuradores de força tarefa da Lava Jato reunidos no Rio de Janeiro anunciaram que 2018 será o ano de passar o país a limpo.

Tem que combinar com os eleitores.

Jucá, Collor, Aecio, Renan e praticamente todos os denunciados na Lava Jato que puderem concorrer às eleições se elegem com folga.

Eduardo Cunha (PMDB), por exemplo, só não é o deputado federal mais votado do Rio de Janeiro porque está preso.

Pessimismo?!

Não realidade!

A política tem uma lógica própria e o jogo é bruto. Não é a mesma coisa que estudar para ser servidor público concursado.

Voto e voto, doutor!