Emylson confirmado como vice

O anúncio da candidatura do secretário de Segurança, Emylson Farias (PDT), como vice na chapa do candidato ao governo Marcus Alexandre (PT) está marcada para acontecer na próxima terça-feira. “Estão sendo fechados os últimos detalhes, mas a princípio deverá ser esta data”, falou ontem o governador Tião Viana à coluna. Emylson  tem a sua indicação respaldada pela quase unanimidade dos partidos que integram a coligação da FPA. Apenas o PCdoB ficou contra, porque queria como vice o deputado Moisés Diniz (PCdoB). Emylson  é um nome que entrou em cena com respaldo integral da cúpula do governo e do próprio PT. E conseguiu ser absorvido pelos partidos nanicos da FPA, que se uniram e fecharam questão em torno dele. A sua ida para o PDT foi uma maneira de prestigiar os demais partidos coligados, evitando a formação de uma chapa puro sangue só com petistas. Tião Viana diz que a indicação de Emylson para ser o vice não é dele, mas dos partidos da FPA.

FOI O QUE SOBROU

O PCdoB não conseguiu emplacar nenhuma das suas indicações na chapa majoritária da FPA. O nome do deputado federal Moisés Diniz (PCdoB) como vice não decolou e as duas primeiras suplências do Senado, também, ficaram de fora da órbita do partido. É um quadro definido.

CEDO PARA ALIANÇAS

O dirigente do PCdoB, Edvaldo Magalhães, disse ontem à coluna que é muito cedo para dar como martelo batido a formação de chapas de deputados estadual e deputado federal. “Muita água ainda passará debaixo da ponte”, enfatizou. Acha ser um assunto para o próximo ano.

CANDIDATURA CONFIRMADA

Sobre a sua candidatura a deputado estadual, Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que se lhe perguntarem se quer ser candidato, diz que responderá que sim, numa fina ironia. Edvaldo, em qualquer contexto, deve ser visto como um dos nomes mais fortes para a ALEAC, em 2018.

NOME ÚNICO

O nome da ex-deputada Federal Perpétua Almeida está confirmado como a única candidatura do PCdoB para a Câmara Federal. Já cumpriu dois mandatos sempre com boa desenvoltura.

NANICOS PROTESTAM

Os dirigentes dos pequenos partidos da FPA não gostam que se denomine a coligação estão formando para a Câmara Federal de “chapinha”. Uns querem que a denominação seja “Chapa 2 da FPA”, outros querem uma adjetivação mais chic: “Chapa dos Partidos Emergentes”. Deveriam estar mais preocupados em catar votos, crescer, e eleger um Federal.

PRB INDICA SEGUNDA SUPLÊNCIA

Caberá ao PRB indicar o segundo suplente na chapa do candidato ao Senado, deputado Ney Amorim (PT). O convite foi avalizado pelo candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT).

COLIGAÇÃO MANTIDA

Em uma reunião entre os dirigentes de todos os partidos nanicos, o presidente do PDT, Luiz Tchê, reafirmou que não sucumbirá a nenhuma pressão do PT e que a chapa para Federal será mantida. Jesus Sérgio, Manuel Marcos, Fernando Melo, Henrique Afonso, Neto Ribeiro, Railson, Eros Asfury, Eber Machado, Silvia da Secretaria de Pequenos Negócios, Desembargadora Isaura Maia, Cícero Furtado e Cristovão Pontes são nomes da aliança.

GANHAR NO PRIMEIRO TURNO

É com este discurso que o candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), vai entrar na campanha. A quem pergunta sobre a eleição diz que, quer liquidar a fatura no primeiro turno. Justifica o otimismo pelo fato da boa receptividade que diz seu nome ter recebido do povão. Prevê que após sua vitória as ambulâncias não darão conta de levar petistas com pilora, para atendimento no Pronto Socorro.

QUESTÃO DO VICE

Embora o nome do médico Eduardo Veloso (PSDB) esteja com boa aceitação para ser o vice na chapa do candidato Gladson Cameli (PP), há algumas reações no meio político, como da parte do ex-prefeito Vagner Sales, que defende que a indicação saia de um nome mais experiente.

INDICAÇÃO EM ABERTO

O que se pode dizer, depois de conversas que ouvi ontem de quem tem café no bule, é que não há o martelo batido para a escolha do vice, uma decisão que deve comportar mais debates internos entre os que integram a aliança da oposição, inclusive, com alternativas que se concretizadas, podem causar grande repercussão política. Pode ter novidade ou não, em breve.

CARTEIRA CASSADA

A coluna teve ontem uma informação privilegiada de que o advogado Manoel Elivaldo Batista, que apareceu fazendo apologia ao crime nas redes sociais, que por isso está preso, e com a licença de advogar suspensa, após o trâmite legal terá a licença para advogar cassada pela OAB-AC. Sem espírito de corpo.

CAMINHANDO PARA REPETIÇÃO

O prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT), fez um péssimo primeiro mandato. E segundo as informações, neste mandato, caminha para bisar o fracasso anterior. Até os seus aliados estão temerosos. A cidade está com as suas ruas esburacadas, coleta de lixo falha e sem providência.

FAVORECE A OPOSIÇÃO

Caso o prefeito Bira Vasconcelos não acorde para melhorar a gestão, os grandes beneficiados na eleição do próximo ano serão os candidatos da oposição. Lembrar ainda que, o PT acaba de perder a eleição de lavada para a Associação do seu maior reduto, a Reserva Chico Mendes.

HÁ QUE SE RECONHECER

Mesmo com as execuções diárias que acontecem na Capital, não se pode deixar de reconhecer que a polícia passou a estar mais presente nos bairros, com ações preventivas. Com um Estado campeão de desemprego fica muito fácil para o crime organizado conseguir novos quadros.

FATO A SER RECONHECIDO

Um fato a ser reconhecido é o esforço e empenho do secretário de Segurança, Emylson Farias, que acompanha pessoalmente todas as ações policiais nos bairros, numa operação de asfixia.

PHS FICANDO ROBUSTO

O secretário de Saúde, Gemil Junior, deverá disputar um mandato de deputado pelo PHS. Conversa neste sentido foi feita ontem, com o presidente Manoel Roque. Gemil disse à coluna que o fechamento deve ocorrer, após uma conversa que terá com o Pastor da IBB, Agostinho Gonçalves, seu líder espiritual. A chapa já tem como candidato o empresário Gringo Soster. E Henry Nogueira.

ALIANÇA FECHADA

A todos do DEM que pergunto se o partido vai mesmo manter esta posição de apoio à candidatura do Coronel PM Ulysses (PATRIOTAS), recebo a resposta que sim. E sempre com a justificativa: “quando dá a palavra, o Tião Bocalom a mantém por cima de pau e pedra”. No DEM, não se discute recuo.

NÃO É IMPOSSÍVEL, MAS É IMPROVÁVEL

Em política não tem o impossível, mas posso dizer que pelo que conheço das atitudes tomadas em outras ocasiões pelo presidente do DEM, Tião Bocalom, acho improvável que recue na aliança formada com o PATRIOTAS e o LIVRES, que abrigam as correntes do liberalismo.

ACERTOU EM CHEIO

O candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), acertou em cheio ao deixar importantes deliberações políticas com a “comissão de notáveis”, formada por ex-secretários, ex-deputados, todos com uma larga experiência na política. O centralismo sempre é prejudicial em qualquer campanha política.

MATOU A ALIANÇA

A filiação da Procuradora Vanda Milani no SOLIDARIEDADE feriu de morte a tentativa de chapa própria para deputado federal do PP. Era um dos nomes de destaque com o qual contava o PP. Na última eleição, Vanda foi muito bem votada e um dos seus erros foi a sua fraca divulgação.

TEM QUE CORRER

Muitos dos quais o presidente do PDT, Luiz Tchê, está contando para formar a sua chapa de deputado estadual já estão se acertando com outros partidos, levados por cardeais da campanha. A continuar a cooptação, se demorar o PDT terá uma chapa desnutrida à ALEAC.

FICAR DE FORA

Quem é candidato a cargo majoritário tem que ficar de fora dessas articulações, porque as paredes costumam ter ouvidos. E Rio Branco é terra de muro baixo, tudo logo se sabe

SEGUNDAS SUPLÊNCIAS

Ficou certo entre a cúpula da FPA que as segundas suplências serão indicadas pelos partidos nanicos, se levando em conta a maior representatividade política. É um espaço decorativo.

CAMPANHA FORTE

Quem vem com uma campanha muito forte é a sempre afável deputada Juliana Rodrigues (PRB), que terá todo o partido empenhado na sua reeleição e com o apoio integral da Igreja Universal. Juliana tem um ponto positivo ao favor: tem posição política definida.

INVESTINDO NO ALTO ACRE

O governador Tião Viana esteve ontem nos municípios do Alto Acre, onde fechou parcerias para apoiar a candidatura ao governo de Marcus Alexandre (PT). Naquele reduto a oposição perdeu as suas principais lideranças, fora da atividade política, por problemas judiciais.

BEM AVALIADOS

Há ainda o fato dos prefeitos de Brasiléia, Fernanda Hassem, e o de Epitaciolândia, Tião Flores, que são da FPA, estarem com administrações bem mais populares que os seus antecessores.

TRABALHANDO NO VAREJO

O prefeito Marcus Alexandre (PT) está trabalhando no varejo da formação de chapas para deputado estadual, aparando arestas, de brigas que estão acontecendo entre os partidos nanicos. E aproveitando os feriados e finais de semana para conversas políticas no interior.

TODOS NO CHAPÃO

A tese dominante hoje dentro da oposição é que seja montada uma chapa única para Federal abrigando todos os partidos. Carlos Beirute, Jéssica Sales, Flaviano Melo, N. Lima, Rosana Nascimento, Vânia Pinheiro, Maurício Hoenberg, Vanda Milani, Major Rocha, Marivaldo Melo,Nelson Sales, Antônia Lúcia e Sérgio Barros, estarão entre os nomes que disputarão as oito vagas para a Câmara Federal, no chapão. Há ainda os nomes de Tião Bocalom e Alan Rick, que disputarão fora do chapão. Os dirigentes da oposição dão como provável a eleição de quatro a cinco deputados federais. Se cada nome for analisado pelo seu potencial de votos, é uma chapa forte, bem mais encorpada da que foi lançada pelos oposicionistas na última eleição. E mais forte que as chapas para Federal da FPA. É só comparar os nomes.