Equipe do Napi, colaboradores e alunos premiados pelo projeto de artes visuais Identificando Potenciais.

 Por  Lúcia do Vale 

Coordenadora do Napi, Darci Martins, entrega medalha à Janaira Silva, 1ª colocada no nível médio (Foto: Cedida)

Realizado na terça-feira, 31, no Teatro Náuas, em Cruzeiro do Sul, a premiação do Projeto Cultural Identificando Potenciais em Artes Visuais. Foram várias etapas, que começou com 620 desenhos e os 15 classificados para a final.

O projeto coordenado pela equipe de Altas Habilidades do Núcleo de Apoio Pedagógico à Inclusão (Napi) da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) premiou oito alunos nos dois níveis de ensino: Fundamental e Médio.

Ao todo, 620 estudantes de 35 escolas urbanas e rurais de Cruzeiro do Sul participaram do projeto.

Para Monaliza Veiga, professora formadora na área de Altas Habilidades, o avanço dos alunos foi surpreendente.

“Com a ajuda de dois artistas locais, João Paulo e o Delson que orientaram os alunos com técnicas para que melhorassem seus trabalhos. Todos tiveram muito avanço, principalmente do primeiro ao quarto desenho, surpreendendo até os participantes”, disse a professora.

João Paulo Sampaio, artista plástico, destacou a importância de projetos como esse e a felicidade de ter participado desse processo de evolução dos alunos.

“Quando via os alunos desenhando, me identificava com as dificuldades, porque em geral foram as mesmas que senti quando comecei a desenhar, então foi muito bacana poder ajudá-los. Participei do processo de avanço desses alunos e no final foi muito difícil dar nota porque o nível foi muito alto”, destacou João Paulo.

A coordenadora pedagógica da equipe de Altas Habilidades, Meyrecler Padilha, ressaltou a importância de trabalhos como esse, para identificar pessoas com potenciais em artes visuais e fazer disso uma profissão.

“Com certeza, essas pessoas serão bem mais vistas na sociedade, podendo desempenhar trabalhos profissionais e mais aperfeiçoados”, ressaltou a coordenadora.

Gabriel Melo de Almeida, aluno do 9º ano da Escola Hugo Carneiro, primeiro lugar no nível Fundamental, disse que sempre gostou de arte, mas nunca pensou que podia chegar tão longe.

“Nunca desenhei no intuito de competição, tudo começou no projeto, entrei por entrar, nem pensei que pudesse passar da primeira fase, mas aí fui vencendo as etapas e evoluindo e cheguei hoje no primeiro lugar. Estou muito feliz e quero agradecer minha família”, disse Gabriel.

Janaira Silva de Souza, aluna do 3º ano, da Escola Craveiro Costa, foi a campeã do Ensino Médio e destacou as dificuldades para chegar à final.

“Exige muito esforço, dedicação e paciência. O projeto me ajudou a melhorar o meu desenho e conseguir o prêmio máximo. Isso é muito gratificante, estou muito feliz, ainda mais por ver o orgulho da minha família e dos meus colegas”, destacou Janaira.