“Eu fico confiante que nós vamos vencer juntos. É um conjunto de medidas que estão nos unindo para pensar uma Amazônia diferente e um futuro de paz para os filhos de vocês que virão”, contou o governador. 

 Por Samuel Bryan Assessoria 

Em uma ação da segurança pública estadual realizada na manhã desta quarta-feira, 25, o governador Tião Viana aproveitou o momento para reforçar a importância dos dois grandes eventos que o Acre realiza nesta quinta e sexta-feira: o 16º Fórum de Governadores da Amazônia Legal e o Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança Pública e Controle das Fronteiras – Narcotráfico, uma emergência nacional.

“Eu fico confiante que nós vamos vencer juntos. É um conjunto de medidas que estão nos unindo para pensar uma Amazônia diferente e um futuro de paz para os filhos de vocês que virão”, contou o governador.

Focando no Encontro pela Segurança Pública e Controle das Fronteiras que irá reunir autoridades de todo o país, com mais de 20 governadores confirmados, o presidente da República Michel Temer e representantes de países vizinhos, Tião Viana reforça que o ato debaterá a necessidade de criação de um Plano Nacional de Segurança Pública e uma força-tarefa de combate aos crimes transfronteiriços e proteção da soberania do país.

“O Acre está rompendo com a visão simplista de que violência é um crime que leva um preso para trás das grades, mas que o maior problema do mundo hoje é o narcotráfico. É a grande ameaça global. Nós estamos unidos por uma visão madura e ampla do sentido da violência, das causas e de como tratar o caminho de redução, mudando para uma cultura de paz”, ressalta.

Construção do Encontro de Governadores do Brasil

Desde o início deste ano, em diversos eventos, o governador Tião Viana tem levantado a urgência de haver uma união nacional e efetiva contra o narcotráfico. Com a realização do encontro no Acre, ele propôs a ampliação do debate para o âmbito nacional e internacional.

“O encontro da sexta-feira não vai ser marcado por um debate político-partidário. Não se trata de nenhum espetáculo para a vaidade de nenhuma instituição, não se trata de agradar partido político A ou B, trata-se de dizer que somos capazes de construir uma sociedade de paz e não violenta”, declarou o governador.