Um exemplo que deu certo

O Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, que é gerido por entidades religiosas com sucesso virou referência de gestão compartilhada com o Estado, dentro do sistema estadual de Saúde. Só quem o conhece pode aquilatar o seu funcionamento, sem apadrinhamento político, com as contratações de profissionais das mais diversas áreas só sendo efetuadas mediante comprovação da qualidade técnica. Não tem a figura do pistolão. O deputado Daniel Zen (PT) ao defender o modelo acha que, poderia ser estendido para outras unidades como as UPAS e o próprio Hospital das Clínicas. É uma proposta que fica para o próximo governante. Com este tipo de gestão evita-se o uso político das instituições de Saúde, que acabam entupidas de cargos de confiança para satisfazer o interesse de quem detém o mandato, sem ser necessário. E você diminui o gigantismo do Estado. A proposta do deputado Daniel Zen fica na mesa das boas sugestões.

CHAPINHA ABENÇOADA

O governador Tião Viana deu a benção: será formada uma chapinha com os partidos pequenos da FPA para a disputa de deputado federal, que está sendo articulada pelo PDT. Alguns nomes já confirmados: Henrique Afonso, Cristovão Pontes, Jesus Sérgio, Eber Machado, Cícero Furtado e Jarbas Soster, Manuel Marcos, entre outros postulantes. A perspectiva lógica é de eleger um Federal. Dois renderiam uma Missa em Ação de Graças rezada pelo Padre Asfury.

Chapão do PT

O chapão do PT será formado por Sibá Machado, Léo de Brito, Raimundo Angelim, César Messias e Perpétua Almeida. As duas chapas tendem a eleger quatro deputados federais. Esta é uma chapa de muito equilíbrio, todos integrantes sempre foram bem votados.

NÃO É UM DESASTRE

Existem gargalos no sistema estadual de Saúde. Agora mesmo faltam alguns medicamentos essenciais no Hospital do Câncer, por que as licitações para as compras ficaram desertas, ninguém apareceu. Alega-se que o governo custa a pagar. TFD não depende só da secretaria de Saúde, mas de vagas nos hospitais fora do Estado. Mas não se pode pegar o sistema como um todo e dizer que nada funciona, como seu ouve de parlamentares da oposição. O atendimento pode não ser o ideal, mas não é este desastre que é sempre anunciado na ALEAC.

GRUPO FORTE

Há um grupo forte fechando apoio ao nome do médico Eduardo Veloso para ser o indicado a vice na chapa do senador Gladson Cameli (PP). É um nome que cresceu e tomou corpo. Alie-se ao fato de ser muito amigo do candidato ao governo, o que é um ponto ao seu favor.

TE CUIDA, LEILA!

O deputado Lourival Marques (PT) anda se articulando entre os produtores que fornecem matéria prima para a ACREAVES e DOM PORQUITO, em Brasiléia, um dos redutos há muito cultivado pela deputada Leila Galvão (PT). Na política, na busca de votos, costuma valer a Lei de Muricy. É bom a Leila ficar bem atenta.

NÃO ESTÁ NO DÉBITO

A divulgação de que as estradas do Acre estão entre as piores do Brasil não está na conta do débito do DNIT e muito menos do Superintendente, Thiago Caetano. Isso se arrasta por todos os governos que passaram pelo Acre após a volta das eleições diretas. Para deixar claro.

PONTUANDO PARA NÃO SER MAL INTERPRETADO

No comentário de ontem sobre ideologias não me passou nem de leve ferir a honra do ex-deputado Edvaldo Magalhães, com o qual tenho boas relações. Quis me referir a bens, perfeitamente compatíveis com suas rendas ao longo da vida. E mostrar que na essência o comunismo praticado pela antiga União Soviética acabou. Foi basicamente isso. Se isso ensejou outra interpretação, minhas desculpas. O tenho sempre como um homem de bem.

O CORONEL ESTÁ BRABO!

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, se prepara para dar um xeque-mate no PP. Procurou os dirigentes do DEM para uma conversa e avisou que, se o PP não vier para um chapão de deputado federal com o PMDB sairá candidato ao governo para espatifar o ninho da pata. E mostrou certidões negativas que nada impede juridicamente sua candidatura.

PÉ FINCADO

Acontece que o PP está com o pé fincado e ideia fixa de ter uma chapa própria para deputado federal. Já teria confirmado Nelson Sales, Vanda Denir, Rudiley Estrela, N. Lima e outros. E pelo que tenho ouvido o PP também não quer coligar com o PMDB para deputado estadual.

NÃO DUVIDO DE NADA

Conheço o Vagner Sales há mais de 30 anos. Se o PP não for para uma coligação com o PMDB, automaticamente, sua filha, a deputada federal Jéssica Sales (PMDB) e o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) ficam sem legenda para se reelegerem. A partir desta decisão podem esperar que ele dispute mesmo o governo ou tome uma medida mais drástica, que implodiria a oposição. Do Vagner não duvido de nada na política. É bom não testarem o coronel!

EM TEMPO

A Central de Transplantes do Acre, a única existente na Amazônia, completou o seu 27º transplante de fígado com sucesso. Poderia ser um número maior se as famílias que estão com alguém com morte encefálica optassem pelas doações de órgãos. Doar órgãos é salvar vidas.

NO 0800, NECAS!

Ontem na ALEAC estava numa roda de deputados da FPA e o assunto era o Senado. Um deles foi pragmático ao comentar a candidatura à reeleição do senador Jorge Viana (PT): “vou votar nele, mas trabalhar seu nome é outra coisa, no 0800 só trabalho para minha mãe e meu pai”.

VOTO DA SOBERANIA

O voto de ontem do Senado foi o da soberania. Foi o voto da Constituição Federal. O próprio pleno do STF já tinha decidido que cabe ao Senado analisar o afastamento de senadores pela justiça. Não foram votos para o Aécio Neves. O mandato foi mantido dentro do princípio legal.

APOIO OSTENSIVO

O polêmico Pastor Agostinho da Igreja Batista do Bosque confirmou ao governador Tião Viana que para a Câmara Federal apoiará o candidato palaciano Cícero Furtado. Agostinho quer corrigir uma situação desconfortante, quando levou Alan Rick no gabinete do governador e garantiu que ele não iria abandonar a FPA para entrar na oposição. Por isso o apoio ao Cícero.

NOME GARANTIDO

A coluna teve ontem a confirmação de que a vice-governadora Nazaré Araújo será a primeira suplente da chapa do senador Jorge Viana (PT). Não deixará de ser uma excelente escolha. É um nome limpo, de qualidade, e que pode agregar adesões no decorrer da campanha.

O fato do prefeito de Senador Guiomard, André Maia (PSD), ter dito a um amigo jornalista que seus candidatos ao Senado serão Sérgio Petecão (PSD) e Jorge Viana (PT), não significa que está cometendo traição partidária. Isso só ocorreria caso não apoiasse a reeleição do Petecão.

QUER CHUPETA COM MEL

O diretor do DETRAN, Pedro Longo, quer moldar uma chapa e alianças em que apareça como o privilegiado para se eleger. Se acha que alguma candidatura pode lhe fazer sombra, ele veta. Tenho ouvido muitas reclamações de dirigentes de partidos nanicos neste sentido.

FESTA DA FPA

Será no próximo dia 1º o anúncio oficial da candidatura do prefeito Marcus Alexandre ao governo do Estado. E é provável que venha já acompanhado do nome do vice, secretário Emylson Farias, que é a opção da simpatia do governador Tião Viana. Só uma zebra muda isso.

ERRO DE ESTRATÉGIA

Conversando ontem com uma das mais altas figuras da oposição, este explicou o motivo pelo qual o deputado federal Alan Rick (DEM) não foi escolhido vice na chapa do senador Gladson Cameli (PP): “seus aliados erraram no método, trocaram o convencimento pela pressão”.

“FOI UMA BOA CONVERSA”

Com a frase acima o prefeito de Epitaciolândia , Tião Flores, definiu ontem o seu demorado encontro no gabinete do deputado Ney Amorim, candidato a senador pelo PT.

GRANDE OPORTUNIDADE

Não é fácil. Nenhum governador sem prestígio conseguiria reunir num Estado pequeno como o Acre, que o governador Tião Viana já comparou em termos de violência à Medellín de Pablo Escobar, na década de 80, onde matanças aconteciam diariamente, conseguir trazer para uma reunião as cúpulas do Judiciário, Executivo, Legislativo, e MPF, e se incluindo o presidente Temer. É uma boa oportunidade para se cobrar que as nossas fronteiras sejam vigiadas por tropas federais com presença efetiva. Um momento como este, com a visibilidade que terá em toda mídia nacional é para se escancarar a fragilidade da fronteira com o Peru e Bolívia, que virou um corredor quase que livre para a entrada de drogas e armas. E que não ficam só aqui, são levadas para os grandes centros urbanos do país. Outra oportunidade igual a esta não teremos. Talvez, em outra geração. Aproveitemos, pois!