O deputado Alan Rick (DEM), que durante o período em que trabalhou como tele entrevistador jamais expôs uma única ideia e apesar disso ascendeu à condição de deputado federal.

O deputado fez subscrever uma carta aberta, na companhia do Coronel da Polícia Militar Ulysses Araújo, onde o texto desfila posições retrógradas e xenófobas.

É de comer ou beber?

Na missiva subscrita por Rick, vem a condenação a um tal “projeto esquerdista anticristão atual, conectado com o projeto globalista ateu, exemplo de fracasso e degradação moral”, sem que, no entanto,  reste explicado ao distinto público o que isso significa.

Contradição

A tal “carta” do deputado Alan Rick (DEM), além de ridícula em sua ausência de sentido e conteúdo é contraditória, vez que propugna para o país a assunção de um governo honesto e leal à pátria, quando ele, Alan Rick, ora apoia com desvelo o governo de Michel Temer (PMDB), que avaliza a privatização das riquezas nacionais, a exemplo do pré-sal, e o desmonte dos direitos individuais adquiridos ao longo de décadas.

Revelação

A tal “carta” só demonstra a perda de importância do deputado no cenário político acreano, visto que depois de rogar de todas as formas para ser indicado como vice de Gladson Cameli (PP), agora, no afã do protagonismo, abraça como última cartada as teses desposadas por Jair Bolsanaro (PSC), que trafegam alinhadas aos discursos da extrema-direita.

Diagnóstico

No dizer de um interlocutor da coluna, após sucessivas manobras políticas erradas, o fracasso subiu à cabeça de Alan Miranda e a dita “carta” é mais um gesto desesperado de Rick para ser inserido no tabuleiro em que são jogadas as decisões tomadas pelas expressivas lideranças políticas do Acre. Resta saber o que o nobre deputado fará com sua ‘desimportância’.

Por Página20.net