Vereador Zé levantou um assunto muito importante sobre as relações dos países de fronteira Brasil e Bolívia, segundo o vereador o intercâmbio está arranhado por causa de calote de 17 mil Dólares.

 Por Alemão Monteiro 

O vereador Zé Gabriele, ao pedir uma parte do tempo da fala do presidente Rogério Pontes na tribuna, levantou um assunto muito importante sobre as relações dos países de fronteira Brasil e Bolívia, segundo o vereador o intercâmbio está arranhado pelo fato de Helizardo Firmino Guerra de nacionalidade Brasileira ter (segundo o vereador) dado um calote de 17 mil dólares em dois bancos na Bolívia no nome de uma cidadã de nacionalidade boliviana.

Zé disse que o intercâmbio está arranhado, tendo em vista que um brasileiro foi em busca de emprego na Bolívia e não conseguiu por conta do ocorrido, desta forma o parlamentar pede que a Câmara de vereadores do município de Brasiléia tome as devidas providências por ser um caso que envolve Brasiléia.

O vereador afirma ainda que Guerra vive fazendo matérias criticando os vereadores da base do poder executivo na Câmara, mas na verdade não passa de um caloteiro que não tem moral nenhum para falar de ninguém, pois só prejudicou a vida dos que dele se aproximou, como a cidadã que foi avalista de Guerra que está tendo seus bens penhorados pelo banco e o funcionário do banco que aprovou o crédito foi demitido.

A boliviana que foi avalista de Guerra conta que as coisas aconteceram da seguinte maneira: Helizardo, como era seu cliente há um ano e meio e lá dizia que era Policial Civil conseguiu enganar a todos. No ano de 2016 conversou com a boliviana para que ela fosse sua avalista de seu primeiro empréstimo que foi no valor de 7 mil dólares no "Banco Sol" e a mesma concordou, já que ele havia se comprometido em pagar cada centavo da conta que estava fazendo em nome dela.

Logo em seguida, Guerra conversou novamente com a boliviana pedindo que ela fosse sua avalista mais uma vez, pois o mesmo pretendia fazer o segundo empréstimo desta vez no valor de 10 mil dólares, a boliviana além de ter aceitado mais uma vez, se deixou levar pela conversa fiada de Gurra, teve que colocar seu terreno como garantia, já que era uma exigência do "Banco FIE S.A" segundo Banco que aprovou o crédito para o empréstimo.

O vereador ressalta ainda que quem trabalha na Bolívia está virando motivo de chacota e os bolivianos estão falando mal do brasileiro, pois os bolivianos estão generalizando “como se todos os brasileiros agissem de má fé ou saísse dando calote em outras pessoas”, disse vereador Zé Gabriele.