O menor foi atingido por cinco tiros; três na cabeça e dois no corpo. João Vitor foi encontrado morto, às margens do rio Iaco.

João Vitor

O delegado Rêmolo Diniz contou, que o jovem João Batista Lira, de 18 anos, se entregou às autoridades e confessou ter assassinado o menor João Vitor Oliveira da Silva, de 13 anos.

No depoimento, com riqueza de detalhes, João Batista afirma que executou o menor após descobrir que este vendia drogas no ponto de outra facção criminosa.

A partir de então, Lira armou uma emboscada e chamou João Vitor para participar de um assalto na praia. Chegando ao local, disparou cinco vezes contra o menor, que foi atingido com três tiros na cabeça e dois no corpo.

Após cometer o crime, João Batista enrolou o corpo da vítima em uma lona e despejou nas águas do rio Iaco. As primeiras informações que chegaram à ContilNet era que o menor havia sido enterrado às margens do rio, o que foi desmentido pelo delegado Rêmolo.

“Ele foi morto na praia e jogado dentro do rio. Como haviam se passado três dias, parte do esqueleto ficou preso em alguma coisa, e como o rio foi secando, ele acabou sendo soterrado pela areia, ficando apenas seus pés de fora”, explicou o delegado.