Por Luiz Carlos Moreira Jorge 

Não ficou pedra sobre pedra no PT e na oposição

A revelação pública ontem dos termos da deleção premiada do ex-líder do Governo, senador Delcídio Amaral (PT), levando de mãos dadas para o centro da Lava-Jato, Dilma e Lula foi fatal para ambos. Acabou com a raspa da credibilidade da Dilma e fulminou a defesa de Lula de que nada sabia das trapalhadas na Petrobrás. A gravação do ministro da Educação, Aloísio Mercadante, envolvendo Lula e Dilma em artimanhas para detonar as investigações, mostra como ambos agiam. A bomba atômica não pegou só os petistas, entraram na deleção de Delcídio os presidentes dos dois maiores partidos da oposição: Aécio Neves (PSDB) – foto- e Michel Temmer (PMDB), o que deixa o PT e PMDB e PSDB na base do sujo falando do mal lavado. O governo Dilma acabou. Não adianta ato de solidariedade. Acabou! Acordem para a realidade! Como acabou a aura do Lula. Depois desta ação do senador Delcídio Amaral não sobrou pedra sob pedra. E não queiram encobrir o sol com a peneira. Os sinos fúnebres dobram pela Dilma e pela classe política. Chegou ao fim. Não há mais para quem apelar.

É o que acontece

Da delação do Delcídio Amaral abomino a gravação clandestina, que é um ato abjeto. Mas não tenho a menor dúvida de tudo que ele falou dos bastidores do governo federal é verdade. É nos porões dos governos que se trama todo tipo de sujeira que o leitor possa imaginar.

Tomou rumo

A coluna vai arriscar é dizer que a candidatura do deputado Daniel Zen (PT) para vice de Marcus Alexandre (PT) tomou rumo novamente. Inclusive, Marcus e Zen já tiveram várias conversas reservadas, na base da luz vermelha. Alguns partidos nanicos devem em breve se posicionar a favor de Zen. Qual a fonte da coluna: fonte é algo sagrado que não se revela.

Não pode ficar de fora

O deputado Daniel Zen (PT) é uma das revelações da nova safra política. Mas a pergunta que cabe é a seguinte: Com o PT detonado, no fundo poço, uma chapa puro-sangue não seria arriscado e dará bandeira aos adversários? É um lado a ser muito bem analisado.

Checagem confirmada

Depois que recebi a informação fui checar com alguns presidentes de partidos nanicos, se tinham algum acordo para indicarem Daniel Zen (PT) para vice do Marcus Alexandre. Não só confirmaram como ainda disseram que em muito breve tornarão o fato público.

Uma coligação poderosa

O prefeito de Senador Guiomard, James Gomes, conseguiu montar uma coligação poderosa com quatro partidos e 60 candidatos a vereador, para apoiar o candidato à sua sucessão Jorge Catalan (PP), que terá como vice o vereador Tião Alves (PR), o mais votado do município.

Tentativa fracassada

O deputado federal César Messias (PSB) tentou a todo custo manter o vereador Tião Alves no PSB, que acabou indo para o PR, partido que está na coligação que apoiará Jorge Catalan (PP).

Passará a disputar

Com toda esta estrutura política e mais a máquina da prefeitura, o prefeito James Gomes (PP), recoloca no jogo o seu candidato Jorge Catalan (PP). Fez uma amarração bem inteligente.

Na prensa da mandioca

O PT quer fazer no próximo dia 18, um grande ato em Rio Branco na defesa do Lula e da Dilma. Os secretários já foram avisados que, além de suas presenças e dos cargos de confiança de suas secretarias, terão que levar ao ato uma cota de amigos. Transporte não será problema.

Fina ironia

Ao comentar a convocação, um empresário da mídia ligado ao governo, fez ontem o irônico comentário: “equivale a todo mundo de cuia na mão tentando tirar a água de transatlântico quase todo inundado”. Com cada delação nova todo dia, a sua observação é pertinente.

Fico curioso

Eu fico curioso para saber os que os oradores do ato público do dia 18 pretendem argumentar a favor da Dilma e do Lula, depois da revelação da gravação do senador Delcídio Amorim, envolvendo ambos no olho do furacão da Lava-Jato. A não ser defesas passionais.

Fora do barco

O vereador Joelso Pontes (PP) anunciou ontem que estava abandonando a base de apoio ao prefeito de Brasiléia, Everaldo Gomes (PMDB), porque será um candidato a prefeito com muitas críticas a fazer à atual administração municipal. Se unir a oposição, Joelso é forte.

Era o único nome

Sempre bem votado no município, Joelso Pontes era o único nome a prefeito forte que os partidos de oposição teriam para enfrentar a candidata do PT, Fernanda Hassem, que foi a mais votada para a Câmara Municipal. A eleição agora será muito equilibrada.

Nunca vi nada tão engraçado

No próximo dia 19, em Sena Madureira, três candidatos a prefeito farão um ato de filiação partidária em conjunto. Do DEM, PMDB e PP. Fico surpreso! É inédito! Quem vai enganar quem? O deputado Gehlen Diniz (PP) diz que a oposição terá um só candidato. Pago para ver.

Disposição confirmada

O contador Rômulo Grandidier se filiou ontem ao PSB, a pedido do deputado federal César Messias (PSB). Rômulo confirmou à coluna que de fato é “pré-candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul” e numa conversa com o deputado Josa da farmácia (PTN) o comunicou da decisão.

Disputa no partido

Rômulo Grandidier (PSB) revelou à coluna ainda que a decisão sobre quem será o candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul pela FPA, acontecerá em um debate no Conselho Político dos partidos. “Se eu ganhar, espero que o Josa me apóie, se ele ganhar, eu lhe apoiarei”, pontuou.

“Está decidido”

Conversei ontem com uma figura política muito próxima do deputado federal César Messias (PSB) que, garantiu que a candidatura de Grandidier a prefeito de Cruzeiro do Sul é fato consumado. “Ele tem a maioria dos partidos da FPA ao seu lado”, observou a fonte.

Conversas adiantadas

A coluna recebeu ontem a informação de que o ex-prefeito de Porto Acre, Zé Maria (PT), trabalha o apoio do PMDB à sua candidatura a prefeito. A sua meta é conseguir que o PMDB indique Abílio Rodrigues (PMDB) para vice da sua chapa. O deputado federal Flaviano Melo (PMDB) não se opõe. Atinge em cheio candidatura a prefeito do Bené Damasceno PROS).

Praticamente decidido

Obtive informação de boa fonte que está praticamente certo que a FPA terá duas candidaturas a prefeito de Porto Acre: Zé Maria (PT) e Bené Damasceno (PROS). A oposição agradece de joelhos a patuscada. Pode acontecer de morrerem abraçados como dois tamanduás.

Tomou gosto

Perguntei ontem ao deputado Josa da Farmácia (PTN) sobre sua candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul e a resposta foi curta e rápida: “está firme”. Foram lhe dar corda, agora agüentem….

Ouvido de mercador

O deputado Nicolau Junior (PP) ontem disparou contra os secretários estaduais que não respondem seus requerimentos. “É um pouco caso, uma falta de respeito”, reclamou. Tem todos os meios legais para acionar os secretários mudinhos, a resposta é obrigatória.

O problema é outro, falta grana

Sobre a reclamação do deputado Nicolau Junior (PP) do pouco caso dos secretários do governo com os deputados, de nada adiantaria responder, estão todos quebrados. Quanto mais ter recursos para recuperar a detonada Avenida Mâncio Lima, em Cruzeiro do Sul.

Para as estatísticas

Mais uma casa foi invadida por assaltantes, desta feita no Tangará, de onde levaram carros e bens da família. Será mais um caso a ficar no rol dos insolúveis da Secretaria de Segurança.

Falta diálogo

Está anunciado para hoje uma greve dos médicos. O que está faltando é diálogo com a categoria. Cansaram de promessas. Espera-se que, se for aberta a mesa de negociação, que não se coloque para negociar o subsecretário de Saúde, Irailton Lima, não tem fino trato.

Não é assim que se resolve

O secretário Gemil Junior não vai resolver a questão entrando na justiça, ao contrário, vai avivar ainda mais a crise com a classe médica, em pleno ano eleitoral. Não se resolve uma questão propondo uma negociação com uma ameaça distribuída à imprensa..

Uma figura democrática

Tem muita tranqueira no governo e no PT, mas também tem democratas, como o presidente do PT, Ermício Sena, que não se nega a dar uma informação, não só para defender seus princípios políticos. Não faz parte da ala petista “cuecas apertadas”.

Um erro sem tamanho

Colocar o Lula em um ministério seria o derradeiro ato da presidente Dilma. Até teria validade se o Lula não tivesse sofrendo acusações na Lava-Jato. No Acre, equivaleria pôr o senador Jorge Viana (PT) na chefia do gabinete do Tião Viana, nunca daria certo. E se é para fugir do Juiz Sérgio Moro, pode acontecer do STF barrar a estratégia.

Não sobrou ninguém

O governo da presidente Dilma, envolto em escândalos acabou. Quem poderia lhe suceder se sofrer o impeachment, o vice-presidente Michel Temmer (PMDB) também é acusado na Lava-Jato. O presidente da Câmara Federal, deputado federal Eduardo Cunha (PMDB), outro na linha de sucessão, está todo encalacrado em denúncias. O mesmo acontece com o presidente do Senado, senador Renam Calheiros (PMDB). Ou seja: não sobrou ninguém para apagar a luz.