Brasileia foi um dos municípios da região do Alto Acre fortemente afetado pela enchente de 2015, considerada a maior já ocorrida no estado.

Por Chiquinho Chaves

Foto: Gleilson Miranda/Secom

Para traçar definições que visam a reestruturação das atividades comerciais, da habitação e da infraestrutura da cidade, o governador Tião Viana se reuniu na Casa Civil, nesta sexta-feira, 5, com representantes do setor comercial da cidade. A agenda foi mediada pela deputada estadual, Leila Galvão e contou com a participação da vereadora Tereza Xavier.

O grupo trouxe ao governador um conjunto de propostas originadas a partir de diversas agendas realizadas no município. Entre os assuntos debatidos constam a disponibilização da área para cerca de 50 comerciantes, o andamentos de projetos na área de habitação, a construção da ponte entre Brasileia e Epitaciolândia e o parcelamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Tião Viana garantiu dar encaminhamento às ações e assegurou de imediato que o governo assume o compromisso de construção das casas e da ponte entre os dois municípios. “Só para a construção das casas o investimento é de mais de R$ 60 milhões”, contou o governador. Na segunda 8, uma equipe técnica da Secretaria de Obras irá à Brasileia para definir o modelo construtivo dos boxes comerciais para o Centro.

A deputada estadual, Leila Galvão, comentou que o grupo saiu satisfeito com a definição prévia que contém datas e prazos que permitem avançar em soluções.

“O importante é isso: ter um governo parceiro, que nos momentos difíceis estende a mão para auxiliar aqueles que mais precisam como tantas famílias carentes que moram à margem do rio e foram prejudicadas, assim como os produtores rurais e os comerciantes que são aqueles que fomentam a economia do município”, disse a parlamentar.

O presidente da Associação Comercial de Brasileia e Epitaciolândia, José Pacheco, reconheceu que Brasileia está sendo tratada com dignidade pelo governo. “Nós temos a garantia do governo que está ajudando muito o município, e que nos dá condições para prosseguir com as ações e discussões que visam reerguer nossa cidade”, concluiu Pacheco.