Em uma luta fraca e amarrada, Francimar Bodão superou Ryan Jimmo por decisão unânime dos jurados (30-27, 30-27, 29-28).

bosaoO acreano se reabilitou do revés sofrido para Hans Stringer e respira na organização. Já o canadense, finalizado por Ovince St. Preux, não vence desde abril do ano passado.

Após troca de golpes no vazio, Francimar Bodão imprensou Ryan Jimmo contra as grades – teve uma tentativa de queda frustrada – mas seguiu no clinche. O acreano conseguiu a queda, porém, o oponente se levantou rapidamente. Sem evoluir, o duelo voltou ao centro do octógono, onde Jimmo conectou bom chute alto. Poucas emoções no confronto entre os meio-pesados.

No segundo round, Bodão e Jimmo voltaram a ficar grampeados na grade. E, quando o embate foi ao centro do octógono, Jimmo acertou bom direto de direita, contudo, recebeu um fortíssimo chute nas partes íntimas. O canadense, imediatamente, caiu no chão se queixando de dores, rolou no octógono e precisou de cinco minutos para se recuperar. Depois do reinício, Bodão procurou encurtar a distância, mas boa parte de suas investidas passaram no vazio. Jimmo demonstrava menos iniciativa, entretanto, uma dose a mais de precisão.

safe_imageBodão – em nova investida atabalhoada – foi pressionado por Jimmo contra a grade, porém, sob orientação de Dedé Pederneiras, inverteu a posição e passou a pressionar o oponente. O árbitro ordenou o reinício do combate no centro do octógono, Bodão bloqueou um chute do canadense e, outra vez, o duelo ficou truncado no clinche, terminando sob vaias da torcida.

Por Combate.comGoiânia (GO)