Operações foram deflagradas na zona rural dos municípios de Xapuri e Bujari. Ao todo, foram apreendidas 32 toras de madeira e dois tratores.

Nos locais, os policiais encontraram carga de madeira pronta para ser beneficiada (Foto: Divulgação da polícia)
Nos locais, os policiais encontraram carga de madeira pronta para ser beneficiada (Foto: Divulgação da polícia)

Duas serrarias clandestinas foram desarticuladas em dois municípios do Acre. A primeira operação foi deflagrada na zona rural de Bujari, distante 22 quilômetros de Rio Branco, no último dia 25, e a outra em Xapuri, a 188 quilômetros da capital, nesta quinta-feira (28). A ação fez parte de uma operação do Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Acre em parceria com o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac). Ao todo, foram apreendidas 32 toras de madeira prontas para serem beneficiadas e dois tratores.

Segundo o comandante do Batalhão Ambiental, Carlos Augusto Negreiros, a equipe encontrou na zona rural do município Bujari uma serraria móvel armada dentro da floresta, onde haviam 12 toras de madeira e um trator que seria utilizado para derrubar as árvores. Negreiros afirma que a prática de crime ambiental foi denunciada à polícia por meio de pessoas da comunidade.

“Encontramos a serraria em uma propriedade particular. O responsável não estava mais no local quando a equipe chegou, por isso, não foi preso em flagrante. O homem foi localizado em seguida pelo Imac, no bairro Vila Acre, em Rio Branco. O trator foi apreendido junto com a serraria, e o responsável pela área foi notificado por agentes do Imac”, explicou o comandante.

Em Xapuri, a operação encontrou um trator de esteira e mais de 20 toras de madeira. De acordo com Negreiros, quando a equipe chegou ao local só tinha um trabalhador, que estava operando o trator. O homem foi conduzido à delegacia de Xapuri. As equipes do Imac e Polícia Militar estão no local, neste sábado (30), para fazer a apreensão da madeira.

“O Imac recebeu uma denúncia de um morador das proximidades informando que uma área da floresta estava sofrendo desmatamento ilegal. Se a equipe não tivesse chegado ao local, a devastação seria bem maior, porque tinham muitas árvores mapeadas para serem derrubadas. Então, conseguimos interromper uma sequencia de árvores que iam ao chão”, afirmou Negreiros.

O comandante acrescentou ainda que a polícia investiga se há ligação com um caso que ocorreu em 2014, quando um grupo foi preso na estrada Transacreana por compra e venda de madeira ilegal. “Eles costumam chegar à propriedade rural e comprar a madeira a um preço muito baixo, em torno de R$ 300 cada árvore, e depois vendem por um valor elevado, e têm um lucro absurdo, ou seja, se aproveitam da boa vontade dos moradores. A polícia está em investigações”, finalizou.

O operador do trator que estava no local foi conduzido à delegacia de Xapuri (Foto: Divulgação da polícia)
O operador do trator que estava no local foi conduzido à delegacia de Xapuri (Foto: Divulgação da polícia)

Iryá Rodrigues Do G1 AC