O pedido de investigação contra o governador Tião Viana ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPU) no Supremo Tribunal de Justiça (STJ)

Da Redação

artii_2-660x330

tendo como base uma suposição de benefício de recursos desviados da Petrobrás e usados na campanha de 2010, tendo por base a delação premiada dos corruptos confessos Paulo Roberto e Alberto Youssef não se sustenta, visto a inexistência de evidências, argumentos e fragilidades das provas que possam corroborar até mesmo a abertura de processo judicial.

Se nem mesmo os delatores assumem ter contactado o governador, seus coordenadores de campanha de 2010 ou prepostos, como pode o MPF arguir ilícito em relação a Tião Viana.

Os coordenadores da Campanha do Ggvernador Tião Viana, Flora Valadares e Márcio Veríssimo, não verificaram nenhuma ação irregular na arrecadação e gastos no pleito de 2010, e os procedimentos e preceitos da legislação eleitoral foram observados, uma vez que as contas foram aprovadas sem ressalvas e são públicas, estando à disposição da Justiça no TSE.

Segundo eles não houve arrecadação irregular e não houve envolvimento deles e do governador com pedidos de recursos de empresas que estão sendo arroladas no processo da operação “lava jato”.

Nunca houve nesse país tanto empenho em tentar manchar e condenar um Partido Político, tal qual está acontecendo com o Partido dos Trabalhadores (PT). De um lado a justiça, que na ânsia de envolver políticos e pessoas ligadas ao PT se precipita, abrindo inquéritos sem motivações comprovadas, induzindo sentência e condenação prévia. Do outro, a maioria da mídia golpista, insatisfeita com a inexistência das benesses de anteriores governos peessedebistas que enchiam seus cofres e anistiavam suas dívidas junto ao setor público.

É certo que nossa atrasada elite, rancorosa e golpista não tolera a inclusão social, a igualdade racial, o acesso dos pobres ao ensino superior e nossa independência econômica e soberania frente aos países do dito primeiro mundo. Boa parte da classe média, despolitizada e descomprometida com as mudanças, olhando para o seu próprio umbigo, não consegue discernir os interesses expressos nas fofocas das mídias sociais e nas informações deturpadas dos conglomerados da comunicação hegemônicos no nosso país. Não conseguem enxergar a origem da corrupção e a essência das transformações que estão sendo realizadas pelo PT e aquelas que ainda necessitam ser feitas na luta por um Brasil justo e democrático.

Grande parte dos problemas vividos pela sociedade brasileira estão subscritos nas regras institucionais vigentes. Várias reformas precisam ser feitas, dentre elas: política-eleitoral, tributária, administrativa, agrária, educacional, comunicação, dentre outras, coisa que os partidos tradicionais e conservadores não querem.

O PT sugeriu as reformas desde as manifestações do ano passado, mas não obteve o apoio dos demais partidos. Será que a classe média descontente e a burguesia consciente do país, não conseguem ver isso, ou preferem esconder a cabeça que nem avestruz e não enfrentar os problemas na sua origem.

Conhecendo o Governador, temos a certeza da lisura e transparência de seus procedimentos no pleito eleitoral de 2010, frente a denúncias descabidas. Com o esclarecimento dos fatos prevalecerá a verdadeira versão e o reconhecimento da inocência, integridade e honra de Tião Viana, ante o imbróglio criado pelos delatores e o MPF e STJ, reestabelecendo a justiça.