Abrigo está 143% acima da capacidade permitida. Previsão é que mais 120 imigrantes cheguem nesta quinta ao local.

Imigrantes lotam abrigo em Rio Branco Foto: Aline Nascimento
Imigrantes lotam abrigo em Rio Branco Foto: Aline Nascimento

Com a enchente histórica que atinge a capital acreana, o abrigo mantido pelo governo do Acre, em Rio Branco, está com uma demanda de 143% acima do permitido. Com capacidade para acolher aproximadamente 300 pessoas, nesta quinta-feira (5) mais de 729 imigrantes estão abrigados no local e a previsão é que cheguem mais 120, segundo a Secretaria de Direitos Humanos do estado (Sejudh).

De acordo com o diretor de Promoção e Defesa de Direitos Humanos, Ruscelino Barboza, com a situação do estado por conta da cheia do Rio Acre, o número de ônibus que faz o transporte de imigrantes para outros estados do país, reduziu de dois para um ônibus por dia. Com isso, somente 44 imigrantes são transportados, e não mais 88.

“O abrigo está com uma demanda de cerca de 30% acima do que é permitido, com isso já está superlotado. Essa situação é reflexo da cheia que atinge nossa cidade. Diante dessa situação, vai aumentar a permanência dos imigrantes no estado. Estamos negociando para que a empresa de transporte normalize e mantenha aos menos os dois ônibus fazendo o transporte deles para outros estados”, explica o diretor.

O diretor ressalta ainda que a situação deve ficar cada vez mais complicada. “Praticamente todo o Centro da capital está tomado pelas águas do Rio Acre, e isso acaba refletindo na questão da retirada de documentos necessários para a saída dos imigrantes do Acre para outros estados do país. Nesta terça, os Correios suspenderam a emissão de CPF, agora está sendo feito somente pela Receita Federal, e isso vai dificultar”, acredita.

Imigrantes fazem fila em frente ao Ministério da Fazenda nesta quarta-feira (4); cheia provoca demora na retirada de documentos (Foto: Aline Nascimento
Imigrantes fazem fila em frente ao Ministério da Fazenda nesta quarta-feira (4); cheia provoca demora na retirada de documentos Foto: Aline Nascimento

Iryá Rodrigues Do G1 AC