Suspeita é que ele estaria mexendo no padrão de energia em área alagada. Homem de 62 anos sobreviveu e foi encaminhado para o Huerb.

Foto: Ilustrativa
Foto: Ilustrativa

Um homem de 62 anos sofreu uma descarga elétrica enquanto supostamente mexia em um padrão de energia no bairro Habitasa, local atingido pela enchente do Rio Acre. Ele foi encaminhado para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) e segundo o  diretor clínico da unidade de saúde, Giovanni Casseb, está fora de risco e apresenta quadro clínico estável. O caso ocorreu neste domingo (1), um dia depois da inspetora de escola Fátima Lima de Moura, de 64 anos, falecer pelo mesmo motivo no bairro Palheiral.

De acordo com o médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Italo Maia, que atendeu a ocorrência, o homem foi socorrido por populares. A ambulância estava passando pelo local quando ele foi socorrido.

“Fomos fazer o atendimento de uma vítima de agressão física, quando passamos pelo local no momento. Fomos chamados pelos populares. Segundo eles, o senhor estava mexendo no padrão de energia quando um dos fios encostou na água e ele pegou o choque. Os populares retiraram ele da água e chamaram a ambulância”, contou.

Primeira vítima
No sábado (28), a enchente do Rio Acre fez sua primeira vítima fatal, em Rio Branco. A inspetora de escola Fátima Lima de Moura, de 64 anos, morreu após receber uma descarga elétrica na Rua Tião Natureza, no bairro Palheiral, um dos atingidos pela cheia do Rio Acre. A vítima saía da casa da filha e teve contato com a água que invadiu o quintal.

A Eletrobras Distribuição Acre emitiu uma nota no sábado (28) alertando sobre a necessidade do corte de fornecimento de energia elétrica nas áreas afetadas pela cheia do Rio Acre e seus afluentes em Rio Branco. Segundo a nota, tal medida é adotada devido o risco de ocorrência de acidentes envolvendo energia elétrica. A distribuidora pede para que os moradores evitem manusear equipamentos elétricos e não façam ligações provisórias até a chegada das equipes da Defesa Civil.

O prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, decretou na manhã deste domingo (1) estado de calamidade pública devida a cheia do Rio Acre. Com mais de 5 mil pessoas desabrigadas, o manancial está com o nível de 17, 58 metros, na medição das 18h, segundo informou a Defesa Civil Estadual. Normalmente, o Rio Acre na capital apresenta o nível de seis a oito metros e pode chegar abaixo de três em períodos de seca. Em toda a capital acreana o número de pessoas atingidas pela cheia é de mais de 50 mil pessoas.

Campanha
O governo do Acre iniciou no dia 23 a campanha para arrecadar doações para a população dos municípios atingidos pela recentes enchentes dos rios acreanos. A ação faz parte do movimento “Acre Solidário”, encabeçado pela primeira dama do estado, Marlúcia Cândida. O foco da campanha é arrecadar alimentos não perecíveis, com destaque para o leite em pó e massa para mingau, além de outros itens, como fraldas descartáveis, roupas e calçados.

Na capital, os donativos podem ser entregues na Central de Serviço Público (OCA), na Avenida Brasil; Palácio das Secretarias; Quartel da Polícia Militar; Casa Civil; Igreja Batista do Bosque; Supermercados Araújo do Tangará, Aviário, Izaura Parente e Via Chico Mendes; Secretarias e autarquias estaduais.

Veriana Ribeiro Do G1 AC