Leo de Brito anunciou que vai buscar em Brasília medidas para minimizar os problemas causados pelo transbordamento do Rio Acre 

Da Assessoria

Sug. legenda: Leo de Brito esteve em Brasileia com Tião Viana  (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Sug. legenda: Leo de Brito esteve em Brasileia com Tião Viana (Foto: Gleilson Miranda)

O deputado federal Leo de Brito anunciou que vai buscar em Brasília medidas para minimizar os problemas causados pelo transbordamento do Rio Acre aos comerciantes e demais moradores das cidades atingidos pela cheia. A prioridade será Brasiléia, que passa pela pior enchente da história e decretou estado de calamidade pública. A primeira agenda na capital federal será uma reunião com o ministro da Integração, Gilberto Occi, nesta terça-feira (24), com a participação de toda a bancada do Acre.

Durante o fim de semana, Leo de Brito visitou Brasiléia, Epitaciolândia e Xapuri, municípios que sofrem com o alagamento, acompanhado do governador do Acre, Tião Viana. Na segunda-feira (23), o deputado participou de reunião com representantes da Defesa Civil, 7° BEC, da Prefeitura de Rio Branco e do Governo para discutir a situação.

O deputado se comprometeu a ajudar o governo do Acre a garantir que o Programa Minha Casa Minha Vida contemple Brasiléia, intermediando junto ao Ministério das Cidades, para que as famílias que tiveram seus lares danificados pelas águas tenham novas moradias. Ele se prontificou ainda a buscar apoio financeiro aos atingidos, por meio de emendas parlamentares.

Leo de Brito também afirmou que vai acompanhar de perto os processos de aprovação dos decretos instituídos pelas prefeituras, e lutar pela garantia da liberação de financiamento para os comerciantes do município que tiveram seus negócios prejudicados.

Após intensa agenda no Acre, Leo de Brito retornou à Brasília na noite desta segunda-feira (23). “Minha primeira vinda ao Acre, após ser empossado, foi principalmente para definir as demandas prioritárias do nosso estado e, a partir disso, realizar fortemente as articulações no âmbito federal. No momento, os transtornos causados pela cheia terão especial atenção”, disse o deputado.