Em Brasiléia são 257 famílias desabrigada e outras 374 estão desalojadas

foto: Sergio Vale/Secom
foto: Sergio Vale/Secom

Até o início da noite de segunda-feira, 23, em Brasileia, o número de famílias desabrigadas chegou a 257 e outras 374 estão desalojadas. Mais de 20 bairros foram atingidos pela cheia do Rio Acre. Epitaciolândia possui 67 famílias desabrigadas e 165 desalojadas – quatro bairros foram atingidos. O nível do rio chegou a 15,10 metros às 21 horas.

Cerca de 450 pessoas do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, secretarias e instituições do Estado, Exército Brasileiro e servidores das prefeituras trabalham diuturnamente no atendimento às vítimas das enchentes nos municípios da região de fronteira com a Bolívia.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as chuvas intensas na região de Brasileia impedem que o rio volte ao volume normal. “Enquanto estiver chovendo, não há previsão de baixa no nível do Rio Acre em Brasileia. A vazante de Assis Brasil para Brasileia leva um dia, mas, mesmo o rio estando abaixo de seis metros e vazando há três dias em Assis, a vazante não chegou em Brasileia por causa da quantidade de chuvas que está caindo”, afirmou o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Gundim.

A previsão meteorológica para os próximos dias é de mais chuva. Segundo a Defesa Civil Estadual, a estimativa é de que o volume das chuvas na região do Alto Acre só reduza a partir de quarta-feira, 25.

“O rio havia apresentado sinais de vazante em cinquenta centímetros. Nesse mesmo ponto, de domingo para segunda-feira, havia vazado um metro e vinte, isso a cinquenta quilômetros acima de Brasileia. Mas o nível do rio não baixa porque está chovendo demais e o solo saturado já não está absorvendo essa água, e ela cai diretamente no rio”, ressaltou Gundim.

Brasileia sem energia

Por medida de segurança, a Eletrobras Acre interrompeu o fornecimento de energia elétrica em Brasileia, com exceção do hospital. A medida foi necessária, porque o transformador não pode ter contato com a água. Durante o dia, foi desligada a energia elétrica, provisoriamente, para elevar o transformador em cinquenta centímetros, mas o rio continuou enchendo e não houve mais possibilidade de elevar a altura do equipamento.

“Desde ontem, estamos com problemas na telecomunicação, tanto móvel quanto fixa. A energia elétrica foi interrompida, porque o nível do rio subiu muito e estava próximo ao transformador, então foi necessário fazer esse corte, o que nos impediu de nos comunicar com a imprensa e até mesmo com os órgãos do governo do Estado”, finalizou o coordenador da Defesa Civil Estadual, Carlos Batista.

Xapuri

Às 22 horas desta segunda-feira, 23, o nível do Rio Acre chegou a 15,92 metros, sendo 2,52 metros acima da cota de transbordamento. Ao todo, 25  famílias estão em abrigos públicos e 65 em casas de amigos ou parentes. Quatro bairros e parte da zona rural foram atingidos pela cheia. Ao todo, 58 pessoas trabalham no apoio às vítimas da enchente. A prefeitura de Xapuri decretou situação de emergência.

Apoio da Amac

Servidores da Associação dos Municípios do Acre (Amac) estiveram no Alto Acre, reunidos com os prefeitos das três cidades, coletando informações e verificando in loco a situação para pedir auxílio às prefeituras em Brasília junto ao governo federal.

Fonte: Andrey Santana Agência de noticias do Acre

gov 2

gov 3

gov 4

gov 5

gov 6gov 7