Polícia Militar terá efetivo de 1.250 homens que irão trabalhar durante as cinco noites de Carnaval. Todos os órgãos que envolvem a segurança pública estão empenhados em garantir a tranquilidade do folião 

Por Marcelo Torres 

(Foto: Diego Gurgel/Secom)
(Foto: Diego Gurgel/Secom)

Carnaval, época de alegrias e brincadeiras, muitos aproveitam para extravasar e tirar o estresse do dia a dia. Para garantir que o folião acreano tenha um período carnavalesco em paz e com segurança, o Sistema Integrado em Segurança Pública (Sisp) traçou um esquema envolvendo todos os órgãos e instituições. No total, 1.250 policiais militares, além de homens da Polícia Civil, Bombeiros e Detran, estarão nas ruas durante os dias de folia.

policia_rua_policiamento_DG_04_11_2014-1-300x196A Secretaria de Estado Segurança Pública (Sesp) visa manter a ordem e a segurança dos foliões, coibir e inibir qualquer ação delituosa nos locais onde serão realizados os eventos. Mesmo com essa operação de Carnaval, o policiamento nos demais locais não será prejudicado.

“Para a realização do esquema de segurança, por noite, irão trabalhar cerca de 250 policiais atendendo 37 pontos que farão o evento carnavalesco, com patrulhamento fixo dentro dos espaços de realização do evento e móvel, distribuídos no entorno dessas áreas”, explicou o comandante do policiamento ostensivo de Rio Branco, Marcos Kinpara.

Policiamento integrado

DSC_0449-300x199De acordo com o secretário adjunto de Polícia Civil, Alex Cavalcante, a Delegacia de Flagrantes (Defla) irá intensificar os trabalhos. “Iremos reforçar a central de flagrantes para que possamos recepcionar todas as ocorrências que porventura venham ocorrer nesse período”, destacou.

O comandante do Corpo de Bombeiros, Carlos Gundim, e o diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Gemil Júnior, garantiram manter o efetivo com homens do Corpo de Bombeiros em locais estratégicos, além das blitze Álcool Zero atuando de forma integrada com todo o Sistema de Segurança.

Segundo o secretário de Estado de Segurança Pública, Emylson Farias, o Carnaval ocorrendo de forma descentralizada não tem grande aglomerações de pessoas, evitando assim que muitas pessoas de bairros diferentes possam se encontrar e praticar violência.

“Queremos que esse seja o Carnaval da paz e da família, pois essa é a maior festa cultural do nosso país, e sendo realizado nos bairros faz com que as pessoas se unam ainda mais com sua comunidade e entre amigos. Nosso papel é garantir que todos tenham segurança e possam lembrar-se do Carnaval 2015 como um evento inesquecível”, acrescentou o secretário de Segurança.