A onda azul ataca novamente: Agora com notas e pagamentos superfaturados para compensar amizades. Diz vereador Rozildo

Por Alemão Monteiro 3 De Julho Noticias

Montagem Alemão Monteiro
Montagem Alemão Monteiro

Nas últimas sessões da câmara municipal, o vereador Rozildo (PT), vem denunciado o descaso com os gastos do dinheiro público, e requer explicações do executivo a respeito também de pagamentos de uma suposta empresa em nome de familiares de Aldemir Lopes da Silva (presidente municipal do PMDB).

O vereador Rozildo teme que a prefeitura esteja prevalecendo o “amigo conselheiro” com pagamentos de notas frias ou superfaturadas, uma vez que segundo o portal transparência da Prefeitura Municipal de Brasiléia (e-gov.betha.com.br/transparencia) acusa um pagamento junto à empresa (D A – ME) que é de propriedade da esposa de um sobrinho do mestre dos magos Aldemir Lopes que também possui um carro alugado para a prefeitura no Setor de Cadastro.

4300

A extranhesa se dá pelo fato da prefeitura ter executado um pagamento para esta empresa no valor de R$ 4.300,00 no dia 16 de janeiro de 2013, com apenas dezesseis dias de mandato, onde o prefeito ainda não tinha nem tomado ciência do cargo que ocuparia e já estava prevalecendo os “parceiros”.

A farra de notas extranhas não param por aí ainda, seguidamente ao longo de todo o ano de 2013 e 2014, foram executados vários pagamentos tanto via empresa (D A – ME) como em notas avulsas de Pessoa Física em nome da mesma (D A S S C).

roçagem

As notas têm os históricos dos mais variados, vai desde fornecimento de refeição e salgados, passando por roçagens nas unidades de saúde até aluguel de balneário.

Este último, também me chama muito atenção, diz o vereador Rozildo, em entrevista ao nosso site, pois o Balneário em questão (KUMARURANA), não pertence a dita empresa, e sim, é de propriedade de Aldemir Lopes, o que me leva a crer que Aldemir usa a empresa da esposa do sobrinho como laranja na transação para poder sequestrar um “tronquinho” da prefeitura amiga, finaliza o vereador. 

Os valores cobrados tanto pela empresa (D A – ME) como em seu nome pessoal, você verifica na síntese abaixo e nas cópias das notas, e pode comprovar a veracidade dos fatos no site www.e-gov.betha.com.br/transparencia.

 Veja as notas abaixo5000 4300 2200 1952 1200 980 710