“Aprender a dominar é fácil, mas governar é difícil”.

                      (J.W. Goethe)

Por Luiz Carlo Moreira Jorge 

Untitled-1

Pulando do barco

O deputado Walter Prado (PROS) é a primeira baixa da FPA após a campanha. Prado anunciou ontem à coluna que vai se juntar ao grupo do senador eleito Gladson Cameli (PP). E dá como justificativa para a sua decisão política: ”tenho o maior respeito pelo Tião Viana e pelo Jorge Viana, mas não dá para conviver mais com o PT, que ganha com os aliados e governa só”.

Aliança dos sem mandato

 Prado pretende convidar os deputados Denilson Segóvia (PEN), Lira Moraes (PEN), Helder Paiva (PEN) para também formar com ele ao lado do senador eleito Gladson Cameli (PP).

“Nunca fui ouvido”

Walter Prado diz que embora tivesse muito a contribuir para a área de Segurança Pública, nunca foi ouvido pelo governo e nem teve as sugestões apresentadas na Aleac acatadas.

Novo secretário

O atual diretor da Secretaria de Indústria, Anderson Mariano, será o novo secretário da pasta, nome que saiu de uma de uma sugestão de Edvaldo Magalhães ao governador Tião Viana.

Muito mais forte

Isso mostra que o PCdoB continuará mais prestigiado e mais forte no próximo  governo, com duas secretarias de ponta sob sua órbita, o DEPASA e a Secretaria de Indústria e Comércio.

Pés na PMRB

O PCdoB ainda luta para colocar os pés na PMRB, conseguindo a nomeação do deputado derrotado Eduardo Farias (PCdoB) para a secretaria municipal de Saúde.

Ainda é a dúvida

Ainda resta a grande dúvida: para onde irá a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB)?.

Ninguém trabalha de graça

Vamos deixar a hipocrisia de lado: não há como o prefeito Marcus Alexandre segurar um novo reajuste no preço das passagens de ônibus. Empresário nenhum trabalha para ter prejuízo.

Lei do mercado

Aumenta o combustível, peças, e tudo isso força a que tenha um aumento da tarifa de ônibus.

Possibilidade zero

Pelo que ouvi ontem de um grupo de deputados na Aleac, não aceitam nem discutir mudar o Regimento Interno para permitir que suplentes que assumam tenham cargo na mesa diretora.

Reivindicação do Jamil

Essa é uma reivindicação do deputado Jamil Asfury (PEN), que ficou na primeira suplência, e sonha assumir a Aleac e ser guindado à primeira secretaria da mesa diretora. Ficará no sonho.

Ganhou uma

O deputado federal eleito César Messias (PSB) saiu da eleição forte no Juruá,  o governador Tião Viana ganhou em todos os municípios, dando um banho no prefeito Vagner Sales (PMDB).

Deixou de ser freguês

César Messias, que vinha perdendo uma eleição atrás da outra para o Vagner Sales, quebrou o tabu impondo-lhe cinco derrotas: Porto Walter, Mâncio Lima, Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves e Taumaturgo.

Acabou com o besteirol

Este massacre em todos os municípios do Vale do Juruá soterrou de vez a tese besteirol, que o Juruá não vota em candidato petista. As urnas mostraram que deixou foi de votar na oposição.

Fora da política

O deputado Lira Moraes (PEN), que não disputou a reeleição não se mostra mais disposto a continuar na carreira política, acha que a cada eleição vai aumentar o esquema de compra de votos.

Pregando no deserto

O deputado Denilson Segóvia (PEN) tinha a sua reeleição como certa, apostando nos votos da Igreja Quadrangular. As urnas abriram e apareceu uma mixaria de votos. Pregou no deserto.

Não queria nada

O ex-prefeito Deda, consta, exigiu que para sua mulher aceitasse ser secretaria de Assistência Social, que o PT se abstivesse e ele lançasse o candidato a prefeito de Mâncio Lima, em 2016.

Sem a mínima chance

Foi um pedido que já nasceu morto. Mâncio Lima é o reduto do deputado Jonas Lima (PT), que deu vitória ao Tião Viana nos dois turnos da eleição e jamais aceitaria ficar de escanteio.

Nem era para ser

O deputado Eber Machado (PSDC) reclama que como membro Comissão de Transporte da Aleac não foi ouvido sobre o preço das passagens de ônibus. E nem deveria, virou vereador?.

Trabalha de graça?

Eber Machado considera um “absurdo” o novo reajuste proposto para 3 reais. É de se perguntar: as empresas da sua família não reajustam preços e trabalham de graça?.

Nada a fazer

Poucos deputados têm aparecido nas sessões da Aleac. A legislatura praticamente acabou com a votação da LDO. Agora é só a contagem dos dias para começar o recesso final deste período.

Alguns bons debates

Esta legislatura que se finda foi cenário de alguns bons debates. Um ou outro destempero na tribuna, mas nada que não tenha ficado na conta do aceitável. Foram travados bons debates.

Ficou nas nuvens

Um dos deputados que mais sentiu a derrota foi o deputado Gilberto Diniz (PTdoB), desta vez, o seu esquema de comprar votos a uma semana da eleição foi um fracasso.

Saiu por cima

O prefeito de Senador Guiomard, James Gomes (PSDB),  saiu por cima na eleição. James fez da mulher primeira suplente de senadora e elegeu seu candidato a deputado estadual.

Trabalhar um nome

James Gomes tem agora dois anos para preparar um nome que dispute a sua sucessão com chance de vitória. A FPA, tudo indica, irá com o vereador Ney do Militão para a briga.

Quem é xaxá?

Chega um e-mail protestando contra o boato de que, o futuro secretário de Educação será o “Xaxá”. Quem é Xaxá? É aquele que participou do famoso episódio durante a campanha?.

O choro justo dos nanicos

Tenho ouvido nos últimos dias uma choradeira dos dirigentes dos partidos nanicos. Acham que no novo mandato do Tião Viana precisam participar ativamente da administração e não ficarem restritos a cargos decorativos em empresas em regime de falência como CAGEACRE, CILA, CODISACRE e outros. A tese que defendem é que quanto mais fortes estiverem mais poderão colaborar para o projeto da FPA. Não deixa de ser uma tese para reflexão do PT.

“Não precisamos de mestre, mas sim de liberdade e igualdade entre os homens”.

                               (Vasil Levski, heróio búlgaro)

 Por Luiz Carlo Moreira Jorge

Crica

O resto é chutômetro

A coluna deu em primeira mão a escolha do Procurador Armando Melo para a Saúde, de Edvaldo Magalhães no DEPASA, da permanência da Márcia Regina no Gabinete Civil e agora mais dois furos: está confirmado José Carlos Reis no SEAPROF e Nepomuceno Carioca substituirá o professor José Rêgo na Secretaria de Articulação Política. O resto é chutômetro.

Erro de avaliação

É um erro amador de avaliação que indo para o DEPASA, Edvaldo Magalhães foi rebaixado na importância no governo. Edvaldo vai comandar a verba federal milionária para o saneamento.

Um dos mais elogiados

Edvaldo Magalhães é um dos secretários mais elogiados e prestigiados pelo Tião Viana.

Nem perto

É fora de propósito o deputado Astério Moreira (PEN) substituir a irmã Raquel Moreira na Secretaria de Turismo. Astério terá papel importante no futuro governo, em outro setor.

Depoimentos arrasadores

Os depoimentos até agora prestados ao MPF e PF pelos falsos pescadores que trocaram carteiras da profissão por votos, consta, têm sido arrasadores contra os políticos acusados.

Abre o jogo

O deputado Walter Prado (PROS), experiente Delegado de Polícia, previa ontem:  “Luis Carlos, quando uma dessas pessoas humildes que pegaram carteira chegam na frente da PF entregam tudo”.

Amador e profissional

Carteira de pescador amador qualquer um pode pegar. Carteira de pescador profissional não, porque a sua emissão credencia o portador receber 1 salário mínimo nos meses de defeso.

Dinheiro federal

O problema é que saltaram de 700 para 10 mil carteiras emitidas. Foi escandaloso demais. E os que receberam as carteiras graciosas receberam indevidamente verba federal no defeso.

Não esperem pizza

Por isso não esperem que o desfecho deste caso venha a acabar em pizza.

Cobra grande com onça

Descartem uma aliança para disputar a prefeitura de Brasiléia entre os vereadores Joelso Pontes (PP) e a vereadora Fernanda Hassem (PT). Difícil: é casar cobra grande com onça.

Um teria que abrir

E porque isso? Porque o PT não admitiria Fernanda Hassem de vice de Joelso Pontes (PP) e tampouco o PP aceitaria Joelso Pontes como vice de Fernanda Hassem, esqueçam isso.

Não tem prefeito

Depois de ver as fotos em sites de Brasiléia sobre o abandono em que se encontram as ruas de Epitaciolândia, chega-se à conclusão, pelo abandono, que não tem prefeito na cidade.

Do céu ao inferno

O prefeito André Hassem começou bem em Epitaciolândia. Mas, faltou planejamento. Deu um passo maior que as pernas, a prefeitura está quebrada e desceu rápido do céu para inferno.

Não se perde a humildade

Quando você assume um cargo público e perde a humildade dificilmente a sua gestão terá um final feliz. Foi o que ocorreu com o André Hassem, de refresco de groselha quis ser coca-cola.

Exercendo o cargo

O deputado Elson Santiago (PEN), como interino, exerce plenamente o papel de governador e embarcou para Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Tudo sem criar problemas ao titular Tião Viana.

Fora de discussão

O deputado federal eleito Werles Rocha (PSDB) ligou de Recife para dizer que, descarta disputar a prefeitura da Capital em 2016 e que foi eleito para cumprir o seu mandato.

Bancada da bala

Werles Rocha vai integrar na Câmara Federal a chamada “bancada da bala”, formada por ex-delegados de polícia, policiais militares e civis que se elegeram deputados federais.

Votos de recuperação

Pensamos politicamente diferente, mas tenho uma relação de respeito com o prefeito Vagner Sales há mais de 30 anos. Por isso, lhe desejo pronta recuperação do seu problema cardíaco.

De uma infelicidade a toda prova

A deputada federal eleita Jésica Sales (PMDB), sua filha, foi infeliz ao dizer que os adversários do PT rezam por sua morte. A eleição findou e nesta situação não cabe radicalismo.

Eleição não é duelo

Não se pode transformar uma simples eleição em um duelo ao por do sol.

Corda no pescoço

O senador Sérgio Petecão (PSD) foi manchete ontem nos telejornais nacionais que deram a sua situação como insustentável no STF, onde responde uma ação por compra de votos.

Fim da carreira política

O processo está repleto de provas sobre a acusação de compra de votos e caminha para um desfecho negativo. Condenado, ele ficaria no “ficha suja” e seria o fim da sua carreira política.

Comentário da cidade

O comentário ontem em Cruzeiro do Sul foi a ação repressiva de fiscais da prefeitura fechando bares e restaurantes na busca de impostos para pagar o décimo terceiro dos funcionários.

Vingança pela derrota

Se o ato foi uma vingança pela vitória do Tião Viana nos dois turnos em Cruzeiro do Sul foi uma burrada política, porque cria uma antipatia para o prefeito Vagner Sales entre os empresários.

   ………………………………Sem medo de errar……………………………

Pouca gente conhece ou tem maiores informações sobre o futuro dirigente da Saúde, Procurador Armando Melo. Sejam quais forem as suas qualificações pode ficar certo de uma coisa: pegará a pasta mais espinhosa e de difícil gestão em qualquer governo. Por mais que se faça sempre existe uma demanda reprimida reclamando. Acabar com as filas para cirurgias e consultas, manter um fluxo constante de medicamentos à toda rede do interior me parece serem os seus desafios iniciais. E esperar para ver se dará conta do recado. Espera-se que dê.

“Uma anedota nos ensina mais sobre um homem do que um volume de biografia”.

                                (William Ellery Channing)

 Por Luiz Carlo Moreira Jorge

Crica

Rodrigo foi de uma Seriedade a toda prova

Quando vi o barulho que a assessoria do deputado federal Gladson Cameli (PP) fez com a destinação de sacolões aos desabrigados pela cheia em Tarauacá, imaginei ser um volume grande. Anunciaram uma anta e era uma cotia. Foram apenas 100 sacolões. Certo fez o prefeito Rodrigo Damasceno de não participar da entrega politiqueira para não se queimar.

Como distribuir

Numa cidade como bem mais de 10 mil famílias desabrigadas seria até uma brincadeira de péssimo gosto, revoltante, o prefeito Rodrigo Damasceno anunciar a entrega de 100 sacolões.

Não é amador

O deputado federal eleito Alan Rick (PRB) é um jornalista experiente e já deveria saber reconhecer notas que tentam jogá-lo contra a FPA e também parar de posar de perseguido.

Como se tomar?

O Alan tem que parar com essa história que tem gente na FPA que quer tomar seu mandato. Tomar como? Quem cassa mandato é a justiça eleitoral e ponto. Também não aprendeu isso?.

Não se mexe no que deu certo

De um alto petista sobre o boato da ida do médico Eduardo Farias (PCdoB) para a secretaria municipal de Saúde: “não se mexe no que deu certo, a Marcelene Alexandrina é nota 10”.

Freio de mão puxado

Sobre Eduardo Farias, este petista, comentou: “é um moço sério, nada que lhe desabone a moral, mas é lento nas decisões, administrou a Saúde municipal com o freio de mão puxado”.

Pressão por espaço

A discussão sobre a secretaria municipal de Saúde não diz respeito à gestão. Na verdade, se trata de uma manobra política para acomodar Eduardo Farias, que não conseguiu se reeleger.

Nome ideal

O governador Tião Viana tem sempre citado nas conversas políticas sobre o Vale do Acre, o nome de Idésio Frank (PT), como ideal para disputar a prefeitura de Epitaciolândia, em 2016.

Tem que se consenso

Se a FPA quer ganhar a prefeitura de Epitaciolândia tem de lançar um candidato de consenso, porque no mano a mano vira um plebiscito contra o desgastado prefeito André Hassem.

Nada de extraordinário

A Assembléia Legislativa ainda se reunirá para votar algumas matérias do Executivo, mas nenhuma que seja algo extraordinário e que comporte alguma polêmica.

Carro na frente dos bois

A oposição não amadurece e é sempre com o carro adiante dos bois. Já falam nos deputados Werles Rocha (PSDB) e Eliane Sinhazique (PMDB) para em 2016 disputar a PMRB.

O buraco é mais embaixo

A oposição é emendando uma derrota atrás da outra e não aprende. Ganhar uma eleição majoritária não é coisa do outro mundo. Já eleição majoritária o buraco é mais embaixo.

Para ser sincero

Não adianta dourar a pílula, acho difícil algum dos novos deputados federais eleitos aceitar vir para uma função no governo para abrir vaga ao primeiro suplente Moisés Diniz (PCdoB).

Também para ser sincero

A vereadora mais atuante desta legislatura vinha sendo a Eliane Sinhazique (PMDB). Com a sua saída os demais vereadores, no quesito atuação combativa, estão se nivelando por baixo.

Para não bisar a Aleac

Ou melhoram as suas atuações, divulguem melhor as suas ações, ou em 2016 pode haver uma grande degola de vereadores, a exemplo do que aconteceu na eleição com os deputados.

Nome em alta

O deputado Ney Amorim (PT) é um nome em alta dentro do cenário da FPA, por isso acho correto que, descarte o boato que poderia ser vice da chapa de Marcus Alexandre em 2016.

Perpétua Almeida

Perpétua Almeida (PCdoB) perdeu a eleição para o Senado porque eleição se perde ou se ganha. Mas continua uma política com um bom cabedal de votos é um quadro excelente.

Cargo de visibilidade

Não sei qual o seu futuro político, mas o ideal se vier para o governo ou PMRB, que seja num cargo que lhe permita ter visibilidade política, afinal, a sua carreira não acabou.

Erro de avaliação

O poder deve subir à cabeça do Tião Bocalon (DEM) para insistir na disputa do Governo e PMRB. Tivesse sido candidato à Aleac ou Câmara Federal teria ampla chance de vitória.

Mais interessante

Para não ficar no ostracismo de político sem mandato seria até mais interessantes que disputasse em 2016 a prefeitura de Acrelândia, onde tem reduto eleitoral muito forte.

Proporcionalidade

Na Assembléia Legislativa deve prevalecer o modelo natural, com a bancada majoritária indicando os cargos principais da mesa diretora e a oposição os de menor importância.

Fica e é candidata

Encontrei ontem o ex-prefeito Deda e me disse: “a deputada Maria Antonia se sentiu honrada com o convite para a Secretaria de Ação Social, mas ficará na Aleac e candidata à primeira secretária.

Convites refugados

É a segunda deputada convidada para um cargo no governo que refuga. Leila Galvão o SEAPROF e agora Maria Antonia a Ação Social. Está de panema o suplente Jamil Asfury.

Ambas corretas

Acho que, politicamente, ambas estão corretas, na Aleac estarão mais tranqüilas.

Nunca foi gestor

O deputado federal eleito Alan Rick (PRB) nunca foi gestor da Superintendência da Pesca, no Acre. Não tinha como emitir então carteiras frias para pescadores. O tenho como correto.

Desfalque milionário

Além dos milhares de falsos pescadores que receberam a carteira, cada um recebeu 1 salário mínimo no período de defeso (proibição de pesca) o que gerou um desfalque milionário.  

 ………………………………Sem medo de errar……………………………

Semana passada a coluna deu em primeira mão este escândalo de derrame de carteiras frias de pescadores. Não adianta o PRB escamotear. Existem sim denúncias de troca de votos por carteiras para falsos pescadores, alguns não diferenciam um piranambu dum tambaqui, que estão sendo apuradas pelo MPF e pela PF e correm em segredo de justiça. Os acusados serão citados no seu devido tempo. E os nomes citados são o da deputada eleita Dr. Juliana (PRB) e do deputado federal eleito Alan Rick (PRB). Não se pode é condená-los por antecipação.

“Nunca houve uma boa guerra, muito menos uma má paz”.

                                         (Benjamin Franklim)

Por Luiz Carlo Moreira Jorge

Crica

Não está em discussão

“Nunca esteve em discussão pelo prefeito Marcus Alexandre a substituição da secretária municipal de Saúde, Marcilene Alexandrina, pelo médico Eduardo Farias”. A afirmação é de uma importante assessora de Marcus. E tanto é este o quadro que está sendo buscada uma saída jurídica para a permanência de Marcilene, para ela não vir perder promoções na PM.

Bem avaliada

Marcilene Alexandrina, que é capitã PM, está na cota dos secretários muito bem avaliados pelo prefeito Marcus Alexandre, por o sistema municipal de Saúde estar funcionando bem.

Devassa na fronteira

Amigo do TCE disse ontem que será investigada a notícia da coluna que um prefeito da fronteira, supre medicamentos para o município através de empresário da construção civil.

Triângulo da imoralidade

Como estava com os repasses federais para a Saúde suspenso montou o triângulo da imoralidade. Como é que vai explicar a entrada desses medicamentos no almoxarifado?

Muito trabalho

Passei ontem por alguns bairros periféricos e vi dezenas e dezenas de ruas transversais sem asfalto e na lama. O novo desafio do Edvaldo Magalhães no DEPASA não vai ser pequeno.

Continuarão a pipocar

Asfaltar as ruas principais de um bairro resolve parte dos problemas dos moradores, os que residem nas vias transversais (não são poucos) continuarão na lama e críticos do governo.

Continua emperrado

Acompanho de perto o esforço do governador Tião Viana para melhorar a área de Saúde. E melhorou muito. Mas tem setor que está emperrado. Um deles é o de marcação de consultas.

É um absurdo

Nada justifica, por exemplo, com centenas de médicos, que alguém com dores na vesícula tenha a avaliação marcada, para o dia 23 de fevereiro. Não é justo, operativo nem humano.

Esperar providências

Vou encaminhar o caso dessa senhora humilde para o diretor da FUNDAHACRE, Carlos Eduardo, amanhã, e buscar uma solução. Não é esta a Saúde pela qual o Tião Viana luta.

“Dava dez desmaios”

Colega jornalista comentou ontem sobre o choro do secretário Pelézinho, no gabinete do Tião Viana, para lhe manter no cargo: “com o salário que recebe, eu chorava e fingia até desmaio”.

Nanicos gulosos

Dirigentes de três partidos nanicos se reuniram ontem para buscar uma forma de pressionar o governo para conseguir diretorias. A ameaça de retaliação é o que há de mais condenável na política.

Duas coisas diferentes

Parceria é para a eleição e para governar. Assim é o jogo. E as parcerias no governo devem ser do tamanho de cada aliado. Pressão e ameaças por cargos não funcionam num governo forte.

Sentença estranha, em parte

Por que só o prefeito de Brasiléia, Everaldo Gomes, e a ex-secretária de Saúde, Aldenice Lopes, foram condenados a devolver o dinheiro que sumiu da Prefeitura e o mentor e autor não foi?.

Tenho que levantar

Não conheço as peças processuais, por isso me limito a fazer a pergunta por curiosidade.

Boato de bastidor

Corre no bastidor o boato que suplentes de deputado federal da FPA vão pedir a cassação da deputada federal eleita Jéssica Sales (PMDB) por não ter se desincompatibilizado em tempo hábil.

Caso de cassação

Sobre o caso da deputada federal eleita Jéssica Sales (PMDB), eu não opino, por não conhecer as provas, mas, a não desincompatibilização comprovada é causa de perda de mandato.

Ações eleitorais

O deputado eleito André da Farmácia (PRP) responde a uma ação eleitoral por compra de votos. A deputada eleita Juliana (PRB), também, mas o motivo corre em segredo de justiça.

Nada impede

Mas, nos dois casos nada impede que venham a ser diplomados junto com os demais.

Precisa de alguém hábil

O governador Tião Viana precisa no próximo governo ter alguém em cargo específico para fazer uma ponte de diálogo com os deputados e com certo poder de encaminhamento.

Bom tamanho

Se a Reforma Política vier com a Cláusula de Barreira, para impedir a proliferação de partidos cartoriais e com o fim das coligações profissionais, algo imoral, já estará de bom tamanho.

Oposição reina

Está na contabilidade do PT que, dificilmente, a oposição não ganhará as prefeituras de Acrelândia, Plácido de Castro e Capixaba, por os prefeitos aliados serem uns desastres.

Pior das contradições

A pior das contradições que o governo poderia cometer é puxar um ex-secretário eleito deputado para uma Secretaria. Se era para tê-lo como secretário, não lhe candidatasse.

Plantação de abacaxi

Esqueçam a possibilidade do deputado federal eleito César Messias (PSB) disputar a prefeitura de Cruzeiro do Sul, em 2016. Não vai trocar uma tranqüilidade por uma plantação de abacaxi.

Conduz nos trilhos

Dos prefeitos do Vale do Acre um que conduz a prefeitura nos trilhos é o de Senador, James Gomes (PSDB). Não se conhece deste rapaz uma alegação de ilegalidade com provas.

       ………………………………Sem medo de errar……………………………

Digo sem medo de errar, quase cem por cento dos prefeitos de municípios do interior vão chegar ao fim do mandato com dezenas de processos abertos na justiça por ilegalidades. A questão é que essa maioria dos prefeitos confunde o público com o privado e toca as prefeituras como se fossem botecos de sua propriedade e não têm que prestar contas a ninguém. Os tempos são outros, hoje o TCE, TCU, MP, são mais vigilantes e operantes.

Crica

Dama de Ferro, continuará à frente do Gabinete Civil

“O que é um cínico? É um homem que conhece o preço de tudo e o valor de nada”.

                              (Oscar Wilde, poeta irlandês)

Dama de ferro continua

Outra notícia em primeira mão: a advogada Márcia Regina, a Dama de Ferro, continuará à frente do Gabinete Civil. A fonte não poderia ser melhor. É uma decisão muito acertada do governador Tião Viana. É um nome certo e no lugar certo. É ágil na solução dos problemas que lhe chegam. Substituí-la seria criar uma descontinuidade de ações numa pasta importante.

Foi eleita para ser deputada

Pouca gente sabe, mas a deputada eleita Leila Galvão (PT) foi convidada para comandar a SEAPROF e não aceitou. Agradeceu e preferiu cumprir o mandato na Assembléia Legislativa.

Foi eleita para legislar

Quando alguém é eleito deputado e não cumpre o mandato dá um calote no eleitor.

Orelha ardeu

Num almoço anteontem de deputados da base do governo em uma churrascaria, as orelhas do deputado Jamil Asfury (PEN) arderam, foi criticado pela “arrogância” por todos seus colegas.

Explicação irônica

Um dos deputados presentes deu a seguinte explicação irônica para a unanimidade das críticas: “não podemos falar bem do Jamil, porque seu esporte é falar mal dos colegas”.

Esqueça isso

O deputado federal eleito Werles Rocha (PSDB) é taxativo quando o nome do prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, é falado para o Senado, em 2018. “Este está fora”, dispara.

Sete chaves

Até ontem era mantida pela PF a sete chaves os nomes dos empresários acreanos que foram depor como arrolados no escândalo de corrupção que está acontecendo em Rondônia.

Agora entendo as críticas

Uma amiga luta com dores de vesícula e para ser operada.  Levei o caso ao subsecretário Irailton Lima. Foi cordato e espera-se solução rápida para o caso, como prega o governo.

É de se perguntar

Raro é o mês que não se divulga alguma denúncia contra o prefeito de Assis Brasil, Betinho, e o que mais intriga é que não se conhece  uma ação de devassa do TCE naquela prefeitura falida.

Trocou o religioso pelo profano

 Luiz Gonzaga jogou no lixo seu lado zen de guru, adquirido após meditação em temporada na INDIA. Cortou a longa cabeleira e deixou o lado espiritual pelo profano de ser deputado.

 Cada qual com seu cada qual

O deputado eleito Nicolau Junior (PP), conta quem o conhece mais de perto que ele tem uma mania: ficar besuntando de álcool gel as suas mãos. Cada um com as suas estranhas manias.

Agressão musical

O deputado Sibá Machado (PT) usou seu discurso ontem na inauguração de mais um conjunto habitacional para elogiar seu conjunto musical “Sempre Serve”, ao qual teceu só elogios.

Outro lado da moeda

Quem chegou a ouvir o conjunto do Sibá Machado conta que, não é nada disso e a sua musicalidade é uma ode à desafinação. E tão sonoro quanto o som de um bumbo furado. 

Deveriam se pautar

Os oradores de inauguração de obras deveriam se pautar em fazer um discurso enxuto, como faz o prefeito Marcus Alexandre, para não se tornarem enfadonhos para quem vai prestigiar.

Governador por bom tempo

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Élson Santiago (PEN), ficará à frente do governo por 15 dias, período em que o governador Tião Viana estará de férias.

Queimação na oposição

Defensores da candidatura de Gladson Cameli (PP) ao governo em 2018 iniciaram um processo de fritura contra o candidato derrotado Márcio Bittar, temendo vê-lo de novo candidato.

Só porque perdeu

A derrota revela as pessoas. Os camelistas, que o achava há pouco o ideal para governador do Acre passaram a lhe achar depois do fracasso na disputa do governo, um “arrogante”.

Enganados com a cor da chita

Os que acham que Gladson Cameli (PP), por ter sido eleito senador isso lhe dá favoritismo para disputar o governo são uns tolos, inocentes úteis, cada eleição e uma eleição, e até porque será disputada em outro contexto e com outro adversário. Ninguém pode prever como estará o quadro eleitoral do Acre, em 2018.

Zamir já fazia

Leio que o deputado federal eleito Gladson Cameli (PP) esteve em Tarauacá, distribuindo sacolões. Nada demais, sempre é uma ajuda, mas dar sacolão até o Zamir Texeira fazia isso. Queremos ver auaís os projetos que apresentará no Senado

Reclamar, como reclamar?

Não consigo entender esse clamor contra a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentária, na Aleac. A oposição queria o que? Apenas o deputado Werles Rocha (PSDB) foi à sessão.

É o nome do PT

Vereadora Fernanda Hassem (PT). É o nome que mais escuto entre quem vai pesar na escolha, para ser a candidata a prefeita de Brasiléia, em 2016. Fernanda foi a vereadora mais votada.

É uma tremenda roubada

Chega a informação de que ela será convidada para ser a gestora do novo Hospital de Brasiléia. Se tiver intenção de disputar a prefeitura é uma tremenda roubada. Na Saúde, por mais que se mostre serviço, sempre aparecerá muita gente reclamando que nada funciona no sistema. É e sempre será assim em todas as unidades hospitalares.

Nome apresentado

A deputada Maria Antonia (PROS) e seu marido Deda manifestaram ao governador Tião Viana o desejo dela ficar com a primeira secretaria da Aleac na próxima legislatura. O casal é muito próximo do deputado federal César Messias (PSB), um dos políticos com mais trânsito nos meios palacianos.

É uma tolice

É não conhecer as relações entre o prefeito Marcus Alexandre e o governador Tião Viana para tentarem ficar jogando um contra o outro. Vai perder tempo quem insistir nesta barca furada.

Extremamente partidário

O deputado federal eleito Alan Rick (PRB) é extremamente leal ao projeto da FPA, não faz jogo duplo, até pelo seu caráter religioso. Não esperem que busque aproximação com a oposição.

         …………………………Minoria é minoria, Rocha!…………………………….

Em qualquer parlamento a maioria comanda e a minoria, no máximo, protesta. Por isso é cômico o deputado Werles Rocha (PSDB), com uma oposição minoritária querer impedir a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentária, contra uma base majoritária do governo. Mesmo que tivesse tempo para apresentar emendas, não seriam aprovadas. Por isso, o choro é livre. E até porque, Rocha, nem os seus colegas da oposição estiveram presentes na votação.