Espera-se que o prefeito assuma, realmente, o mandato e comece a trabalhar para cumprir suas promessas de campanha.

Por: Jacks Aroldo

Espera-se que o prefeito assuma, realmente, o mandato e comece a trabalhar para cumprir suas promessas de campanha.

Neste domingo dia 05 de outubro completa-se exatos dois anos de uma alternância que, se não fossem por motivos alheios à vontade do povo, seria a mais bonita fase da história do executivo municipal escrita até os dias de hoje.

No dia 06 de outubro de 2012, o povo brasileense elegia Everaldo Gomes Pereira da silva como sendo uma alternativa de “solução” para os rumos do executivo municipal.

O que seria a renovação e as mudanças de boas políticas administrativas, por novas formas de governar e dar assim um rumo ao progresso e uma solução ao atraso em que nosso município se encontrava, não aconteceu.

Everaldo Gomes foi eleito pelo voto da maioria dos brasileenses mas esqueceu seu plano de governo pregado em campanhas e se cercou de um grupo de pessoas que resolveram que, assim como o prefeito, poderiam ditar as regras e dar as ordens de dentro da prefeitura.

O que o prefeito não sabe ou finge não saber, é que o novo não se constrói com velhas práticas, e que os vícios praticados lá atrás por ex – Lopes e que em nada contribuiu para o nosso município.

A nitidez do mandato de Everaldo Gomes que vem se arrastando sempre abaixo dos 15% e que não tem a aprovação do povo que se sente traído pela sua má administração, se deve ao fato de o mesmo ter mostrado sua incompetência em gerenciar o nosso município e ter deixado tudo sob o comando do sobrenome de duas famílias que sobrevivem como parasitas, de administração em administração, sugando o que pode para alimentar seu ego de poder.

Completam-se dois anos de uma prefeitura falida, afundada em escândalos, desvios de verbas públicas, troca de favores e um suposto esquema de mensalinho entre os preferidos do prefeito como foi veiculado pela cidade e muito comentado em sessões da câmara municipal.

No saldo destes dois anos de governo, o prefeito registra atritos permanentes com os servidores, submetendo-os a humilhações e regime de perseguição, desrespeitos e desconfiança. Privilegiou alguns com pagamentos, deixou outros na geladeira. O despreparo do prefeito chega ao cumulo da irracionalidade, mostrando atitudes totalmente reprováveis e indignas nos tempos de hoje. As atitudes do prefeito chega as raias da insanidade.

É comum ver pessoas ligadas ao prefeito, alguns até sem ser funcionários da prefeitura, dando ordens e entrando nas repartições com nariz empinado e com cara de investigador do que cada um esta fazendo.

Para quem assumiu com muitas promessas, estes dois anos, só serviram até agora para apagar as esperanças de grande parte da população de que o prefeito possa realizar uma boa administração.

Fonte: Fronteira24horas