Vírus segue avançando na Libéria e novas mortes geram preocupação da República Democrática do Congo.

Fonte: zh.clicrbs.com.br

Pacientes esperam tratamento em hospital na Libéria, onde 624 morreram Foto: ZOOM DOSSO / AFP
Pacientes esperam tratamento em hospital na Libéria, onde 624 morreram Foto: ZOOM DOSSO / AFP

Dados divulgados nesta sexta-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 1.427 pessoas morreram pelo vírus ebola. Todas nos países Serra Leoa, Libéria, Guiné-Conacri e Nigéria, do oeste da África. Atualmente existem 2.615 infectados pela doença nos quatro países.

A OMS voltou a ressaltar que não há necessidade de restrições ao comércio nem ao trânsito nos países que concentram o surto de ebola. A instituição só recomenda restrições de movimentação para pessoas contaminadas ou com suspeita de contaminação pelo vírus ebola.

Ebola avança na Libéria e gera preocupação na República Democrática do Congo

A epidemia segue ganhando espaço na Libéria, o país mais afetado pelo vírus. Pela primeira vez, foram registrados casos de Ebola no sudeste da Libéria, perto da fronteira com a Costa do Marfim. 1.082 pessoas foram registradas com a doença no país, das quais 624 morreram.

Nesta sexta-feira, o vice-diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a segurança sanitária, Keiji Fukuda, alertou que o trabalho de frear a epidemia de Ebola “não será fácil” e levará “vários meses”:

– Esta tarefa não será fácil. Esperamos vários meses de trabalho árduo, vários meses lutando contra esta epidemia – disse Fukuda durante uma coletiva de imprensa em Monróvia, a capital da Libéria.

Na República Democrática do Congo, 13 pessoas morreram vítimas de uma febre de origem indeterminada, despertando mais preocupação. Autoridades congolesas indicaram que a febre hemorrágica está sob controle. O ministro da Saúde, Félix Kabange Numbi, disse poder “garantir que a situação está sob controle em Boende, e especialmente no eixo de Lokolia”, locais situados na província do Equador.

A situação na Nigéria, que ainda não é considerada como surto, está piorando. Já são 16 casos com cinco mortes. Em Serra Leoa foram registrados 910 infectados e 392 mortes, enquanto a Guiné-Conacri contabilizou 607 casos da doença, com 406 mortes.

Nesta semana, um fio de esperança apareceu com a melhora significativa do estado de saúde de um médico e de uma enfermeira que recebem um soro experimental americano, o ZMapp.

Nos Estados Unidos, as duas primeiras pessoas que receberam este soro experimental, um médico e uma missionária da organização beneficente Samaritan’s Purse, saíram curados do hospital, onde haviam sido internados depois de serem repatriados.

AFP