Um dos verbos mais conjugados em sua vida é Lutar por dias melhores.

Por Paula Alcântara 3 De Julho Noticias

Moisés Carneiro Torres 12

Moisés Carneiro Torres Cearense, vindo para nosso Acre aos 3 meses de idade Chegando aqui, foi direto para os seringais de Xapuri.

Foi alfabetizado tardiamente, mas quando conheceu as letras foi paixão na certa, incentivando seu irmão mais novo (Cosmo, que depois tornou-se professor também) Após sua família mudar-se para essas “bandas”, precisamente Vila Custodio Freire, torna-se Professor muito jovem.

Na Vila Custodio Freire conheceu dona Maria de Lourdes a sua esposa, a paixão toma conta dos dois e assim casam-se. Desse Amor, que dura até hoje, vieram 6 filhos.

Professor “leigo”, no período das férias escolares, vai à Rio Branco concluir o Ensino Médio Magistério, mesmo com esse nível escolar possuía uma visão futurista da educação, sempre estando à frente de seu tempo.

buja

livro 11Moisés Carneiro Torres elaborou dois livros sobre a história do município que tem por nomes Bujari a primeira edição e Moisés Carneiro Torres a 2ª edição, o mesmo compôs o hino do Bujari. O município do Bujari, distante 22 km de Rio Branco, tem 22 anos a mesma idade que Moisés compôs o hino do município. A cidade que possui 8 mil habitantes, de acordo com dados do governo do estado, foi elevada à categoria de município em 1992, através da lei estadual nº 103. 

Um dos verbos mais conjugados em sua vida: Lutar…. por dias melhores com muita justiça, ética, honestidade e simplicidade esse é também seu legado como pessoa, como Profissional, seu legado é enorme.

Foi pioneiro na Educação de Bujari, sendo designado para essa missão nos idos dos anos 70. Foram quase 45 anos de trabalho na Educação, mais não para por ai foi vice prefeito do Bujari de 1993 pelo o partido PDS com 49 anos; hoje aos 70 anos se aposentou de forma compulsória.

Antes disso, forma-se em Pedagogia aos 67 anos de idade.

Sua vida tem sido marcada, principalmente, como Exemplo. Aliás essa é a maneira ideal de educar alguém. Vida de grandes batalhas para criar e educar seus 6 filhos, tarefa que continua fazendo, sendo ampliada agora com netos e até bisnetos.

Homem honrado, correto (até demais), adorável, uma raridade nos dias de hoje (conheço poucos). A História da Educação de Bujari se confunde com sua historia como Professor.

Maria de Lourdes 12

13

O prefeito do município, Antônio Raimundo de Brito, conhecido como “Tonheiro”, lembra que foi através de uma plebiscito acirrado que o local tornou-se município. “O Bujari passou a ser município por causa de um voto. Foi feito um plebiscito para saber se a população queria que virasse município ou não, e vencemos por um voto”, recorda.

Bujari tem sua história ligada, principalmente, a BR-364, no trecho que liga os municípios de Rio Branco à Sena Madureira, já que surgiu em função da construção da referida estrada.

A origem de Bujari está ligada, comercialmente, ao Extrativismo Vegetal, sendo que o mesmo era uma colocação de seringas chamada “Bujari” e que pertencia ao Seringal Empresa fundado pelo cearense Neutel Maia, em 28 de dezembro de 1882. 

bQuando o Acre foi elevado à categoria de Estado, residiam, no Bujari, três famílias que viviam da borracha e de pequenas agriculturas. Porém, o primeiro avanço populacional considerado, data de 1969 quando por ocasião da construção da BR-364 muitas famílias começaram a instalar-se às margens da estrada.

O 5º Batalhão de Engenharia e Construção estava efetuando a construção da BR quando seu comandante exigiu que muitas famílias afastassem suas residências, fazendo com que muitos moradores perdessem o espaço que ocupavam.

O problema agravava-se até que em 1978, uma comissão de moradores foram ao palácio Rio Branco, falar com o governador Geraldo Gurgel de Mesquita que, para resolver o problema, comprou uma área de dez hectares de terras, dividiu-a em lotes urbanos e distribuiu-os entre as famílias prejudicadas.

Povoado elevado à categoria de Vila, em 1986. Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Bujari, pela Lei Estadual n.º 1.031, de 28-04-1992, alterada pela Lei Estadual n.º 1.066, de 09-12-1992, desmembrado de Rio Branco. Sede no atual distrito de Bujari (ex-localidade). Constituído do distrito sede.

dsc_0089