Humberto Gonçalves, atacou de novo e sobrou até mesmo para o padre.

Por Alemão Monteiro 3 De Julho Noticias

betinho

unnamed

O prefeito do município de Assis Brasil, Humberto Gonçalves, atacou de novo e sobrou até mesmo para o padre da pequena cidade fronteiriça. Betinho, como é popularmente conhecido o prefeito do PSDB, usou uma rádio peruana, onde mantém um programa diário custeado pela Prefeitura, para atacar adversários políticos que denunciam sua péssima gestão.

Dessa vez o prefeito atacou e xingou até mesmo o padre da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que assumiu o posto há poucas semanas e já tomou conhecimento das mazelas que vive Assis Brasil, principalmente comunidades rurais, extrativistas e indígenas que foram visitadas pelo religioso.

Em visita ao Governador Tião Viana, Padre Gilberto relatou a situação dos ramais do município, principalmente o ramal do Icuriã que está abandonado desde o ano passado; e o ramal que dá acesso à capela de Santa Raimunda do Bom Sucesso, onde acontece a peregrinação anual que reúne milhares de devotos (15 de agosto).

O governador ficou surpreso com a situação já que apoia a prefeitura com combustível e máquinas para recuperar os ramais.

Depois da conversa do padre com o governador tudo indica que o apoio foi cortado. Uma máquina alugada pelo governo iniciou os trabalhos de reabertura do principal ramal de Assis Brasil, o ramal do Icuriã que é a única via de acesso à cidade de milhares de pessoas que vivem na Resex e aldeias indígenas.

O acontecido levou o prefeito mais uma vez a descer o nível e atacar moralmente o padre da cidade, desrespeitando toda comunidade católica do município. 

O fato não causou surpresa nos moradores de Assis Brasil que já estão acostumados com o desequilíbrio do gestor. Em outra ocasião o prefeito também xingou a presidente do Sinteac de Assis Brasil e os professores que pediam o pagamento do piso salarial que até hoje não foi pago pelo gestor tucano.

O padre Gilberto não quis comentar as declarações do prefeito e disse que vai continuar defendendo os menos favorecidos.