Dá para aferir a temperatura das eleições que se avizinham quando casos de polícia viram assunto de política.

Coluna Poronga 

666

Detenção

Aqui nos referimos ao episódio de segunda-feira à noite, em Acrelândia, onde o candidato a deputado estadual Cleuson de Oliveira (DEM) foi detido após desacatar o governador Tião Viana.

Versão deturpada

Horas depois a versão que circulava era a de que ele apenas se recusara a estender a mão ao governador, que estava em Acrelândia para uma reunião política após seu expediente de trabalho.

Intervenção necessária

Além de agredir verbalmente Tião Viana, Cleuson carregava um objeto na mão, o que foi suficiente para que os seguranças interviessem. O candidato do DEM foi então conduzido à delegacia, de onde se viu liberado duas horas depois.

Desculpa esfarrapada

Fica difícil acreditar que alguém vá a uma reunião política dos adversários sem a intenção de causar rebuliço. E a única intenção do senhor Cleuson era fazer confusão, misturando questões políticas com assuntos de polícia.

Desespero bate à porta

Isso ocorre em período de eleição sempre que o desespero bate à porta. Difícil achar alguém de bom senso que pactue com agressões gratuitas e descabidas a adversários políticos.

Para o bem de todos

Os acreanos já conhecem bem esse enredo. E há muito tempo colocaram um basta nesse tipo de coisa. Que continue assim, para o bem de todos nós.

Artigo a respeito

A propósito da prisão do candidato a deputado estadual pelo DEM, o jornalista Tião Maia publica artigo nesta edição.

Reação rápida

Marcio Bittar, o candidato do PSDB ao governo, reagiu rápido ao desafio do governador Tião Viana para que todos os postulantes ao cargo abram seus sigilos bancário, fiscal e telefônico.

Fuga

“O político que é ladrão não guarda dinheiro das propinas em conta”, respondeu o tucano, com certa razão, porém, bem mais para fugir ao desafio do governador.

Palpite nosso

A coluna suspeita de que político gatuno tenha o costume de guardar a grana das propinas debaixo do colchão…

Periclitante

Franesi Ribeiro, candidato a deputado estadual pelo Democratas, afirmou à coluna que em Cruzeiro do Sul a situação de Bittar está “periclitante”.

Sob sete palmos

Nem mesmo a escolha da deputada Antônia Sales (PMDB) como vice do tucano foi capaz de desenterrar seu prestígio político por lá.

Questão de ordem

Aos moradores do Juruá que ouvem discursos inflamados contra a situação da BR-364, basta perguntar como os candidatos oposicionistas têm chegado à região…

Tempo de cada um

Tribunal Regional Eleitoral (TRE) divulgou ontem à tarde o tempo que cada candidato ao governo terá no horário eleitoral gratuito no Rádio e na TV nas eleições de 2014.

Divisão

Bittar ficará com 8min48seg, seguido de Tião Viana, com 6min45seg. Tião Bocalom terá 2min40seg e Antônio Rocha, do PSOL, 1min44seg.

Ônibus mais seguros

A segurança no interior dos coletivos será reforçada com policiais à paisana. Foi o que disse ontem o secretário de Segurança Pública do Acre, Reni Graebner.

Nota de pesar

Em nota, o prefeito Marcus Alexandre lamentou a morte do motorista Raimundo Marconi, ocorrido na segunda-feira.

Ação rápida

Cabe ressaltar ainda que a ação rápida da polícia propiciou a prisão dos quatro acusados de envolvimento no crime.

Uso irregular

Fanpage do deputado Major Rocha (PSDB) foi usada de forma irregular ao monetizar um ataque ao governador Tião Viana. É o que dizem integrantes da Frente Popular do Acre.

Menos, Rocha, menos…

Rocha publicou uma resposta a Tião Viana sobre o desafio dos candidatos ao governo de quebrarem sigilos bancário, fiscal e telefônico. Nem precisava, já que concorre a uma cadeira na Câmara Federal.

Como o demônio foge da cruz

A resposta de Rocha aumentou as suspeitas de que o candidato tucano ao governo, Marcio Bittar, fugiu mesmo do desafio. Como o demônio da cruz…