Esses dados constam da introdução do “Plano de Governo 2015-2018”

Por Romerito Aquino

acre grese

Nos últimos 15 anos dos governos da Frente Popular, as mudanças no Acre foram de largo alcance. No período, a economia do estado cresceu a uma taxa anual média de 6,5%, enquanto nos três anos anteriores, a taxa média anual do PIB acreano foi de apenas 1,9%. Ou seja, de 1999 até 2013, o crescimento econômico do Acre foi 242% maior do que entre 1996 e 1998.

Esses dados constam da introdução do “Plano de Governo 2015-2018”, um documento de 276 páginas que foi apresentado pelo candidato Tião Viana à Justiça Eleitoral e que vem sendo enriquecido com a participação popular nos 22 municípios acreanos.

Contando com a colaboração de centenas de especialistas nas diversas áreas da administração pública, o novo plano de governo de Tião Viana, que vem sendo divulgado em etapas, nas redes sociais e no jornal A Tribuna, apresenta alguns indicadores que mostram os avanços sociais vividos pela população acreana entre os anos de 2004 e 2012.

Entre esses indicadores estão o desemprego, que no período acima foi reduzido em 11%; a mortalidade infantil, que caiu de 20,6% para 13,9%; e a taxa de analfabetismo, que despencou dos 18,8% para o patamar de 13,2%. Além disso, o índice de Desenvolvimento Humano (IDH), que se encontrava antes no nível “baixo”, foi elevado para a classificação de “médio”.

Segundo o plano, até 2010, os governos da Frente Popular, que introduziram o desenvolvimento sustentável do Acre, romperam com a inércia e inépcias do passado, reorientaram a economia do estado para a construção de uma economia de base florestal sustentável e começaram a implantar a infraestrutura básica do desenvolvimento.

Com isso, deram os primeiros passos para a integração física interna do estado, fizeram avanços na educação como requisito do desenvolvimento, criaram as condições mínimas para acesso aos direitos de cidadania, promoveram importantes mudanças institucionais, restabeleceram o Estado de direito e reconstruíram as destroçadas estruturas do aparelho de Estado.

“Coube ao governo Tião Viana promover o grande salto do desenvolvimento sustentável do Acre”, diz o plano, ao informar que no atual governo houve “importante expansão” na produção agrícola, na piscicultura, na industrialização e na criação de pequenos animais do estado, atividades associadas à inclusão produtiva de trabalhadoras e trabalhadores em situação de pobreza.

O plano também assinala que, criadas as condições institucionais e promovidos os avanços na infraestrutura, nos requisitos de cidadania e na educação, o grande desafio que o governo Tião Viana se impôs foi promover um salto no desenvolvimento econômico e na geração de renda, de empregos e de ocupações produtivas para gerar riquezas e fazer inclusão social por meio da implantação de pequenos negócios. Tudo visando a emancipação econômica e social de famílias, especialmente aquelas em situação de extrema pobreza.

De acordo com o plano, o grande objetivo do governo é fazer crescer a economia, contribuir para a resolução da questão social e assegurar a infraestrutura e a proteção dos recursos naturais, almejando a sustentabilidade do desenvolvimento. Os gestores do plano lembram que os resultados já alcançados pelo atual governo são satisfatórios, positivos e bem avaliados pela população, segundo atestam pesquisas de avaliação da gestão.

“Um novo período de governo sugere a manutenção da essência da estratégia de governo, com os ajustes que se mostrarem necessários e uma programação de governo que inclua a validação do que foi realizado, a continuidade dos programas e projetos em andamento e um passo à frente: novas ideias e desafios”, assinala o plano de governo.

230714_Foto-do-plano-2