Esquecimento e Descaso o Isolamento Da Comunidade Do Icuriã 

Por James Queiroz De Assis Brasil 3 de julho Noticias

Descaso

4Localizada no limite entre Assis Brasil e Sena Madureira, a belíssima e 12810754311819tradicional comunidade do Icuriã ostenta fama pelas belezas geográficas da região reforçada pelas longas praias do Rio Yaco e, sobretudo, pela hospitalidade da comunidade local. No entanto, há cerca de um ano e meio, vem sofrendo com o total isolamento e esquecimento.

Durante anos, o período entre os meses de junho a outubro, era aproveitado pelas pessoas que residem no local para o abastecimento de provimentos, além do deslocamento para a cidade em busca de atendimento medico mais especializado uma vez que um pequeno posto de saúde dava assistência aos moradores nos casos menos complexos.

No mês de Agosto, uma grande festa era organizada, o que atraia aproximadamente mil pessoas, entre as comunidades vizinhas e as pessoas que se deslocavam da cidade. Além de garantir a diversão e integração de todos através de atividades como a cavalhada e torneios futebolísticos, garantia ainda uma renda extra para a associação de moradores contribuindo assim, para manter a comunidade no decorrer do período chuvoso que somente permite acesso fluvial a Sena Madureira.

Todos os anos, ao primeiro sinal de estiagem (denominado na nossa região de verão), um grande esforço era feito para que o deslocamento dos moradores da comunidade e também das aldeias indígenas situadas às margens do Rio Yaco, estivessem garantidos através das melhorias nas vias terrestres. 

Hoje, em pleno mês de julho, a comunidade encontra-se totalmente abandonada e sem perspectiva de melhorias, isso porque, desde o ano de 2013, o Governo Estadual vem montando parceria com a prefeitura como sempre fizera, no intuito de garantir melhorias nas estradas vicinais (Ramais). Por mais que nos discursos agudos de grandes eventos apareçam mais de trezentos KM de ramais trabalhados, desde o ano passado a comunidade do Icuriã e suas imediações não são contempladas. 

Exemplo disso, é a Escola Baixa Verde localizada na comunidade Divisão distante 37 Km do Icuriã que atende mais de cem alunos, e não teve o ano letivo iniciado por depender de transporte escolar e como não houve beneficio no ramal e nem recuperação das pontes de acesso até o dia 18 de julho, os alunos ainda esperavam pelo inicio das mesmas. Outro exemplo, foi a não realização da Assembleia Geral da AMOPREAB (Associação dos Moradores e Produtores da Reserva Extrativista Chico Mendes de Assis Brasil) que acontece todos os anos para o planejamento de ações e programação de atividades a serem desenvolvidas no decorrer do ano. Segundo o Presidente da instituição (José Rodrigues de Araújo), o evento não foi realizado por falta de condições dos ramais e pontes que não davam acesso para o deslocamento dos associados.

Sentindo-se abandonados, moradores procuraram por ajuda junto aos parlamentares de Assis Brasil. Uma comissão formada por vereadores da oposição liderada pelo vereador Isaias, se deslocou até Rio Branco na expectativa de trazer soluções para tal situação. No seu retorno, a comissão trouxe esperança para os moradores que tiveram garantias asseguradas pelos assessores do governo Estadual que afirmam ter repassado maquina e cerca de 25.000 litros de óleo e ainda têm disponível 15.000 litros para a garantia total dos trabalhos.

Abandonados à própria sorte, muitos moradores já pensam em largar tudo e se deslocar para a cidade, principalmente aqueles que ajudaram a formar a bonita história da comunidade, pois, com a idade avançando os cuidados médicos e a necessidade de resolver problemas na cidade inviabilizam sua permanência no local.

5