A parlamentar teria sido uma das mais prejudicadas por Marcio Bittar, Gladson e Petecão. 

Fogo amigo

A candidatura de Gladson Cameli (PP) ao Senado não conta com o nome na primeira suplência. Marilza Gomes, esposa do prefeito de Senador Guiomard, James Gomes, teve sua candidatura impugnada por não ter ser desincompatibilizado de cargo público dentro do prazo legal e por ter prestado informações falsas à Justiça Eleitoral. O caso veio a conhecimento público ontem, mas o fato desconhecido, até agora, é que Marilza pode ter sido vítima do famoso “fogo amigo”.

O que se comenta nas rodas políticas é que os descontentes da candidatura de Marilza Gomes, que foi empurrada goela abaixo na chapa majoritária de Gladson e de Marcio Bittar (PSDB) ao Senado e ao Governo do Acre pelo senador Sérgio Petecão (PSD) teriam sido os responsáveis pela sua queda monumental.

Para quem não sabe, Marilza exercia dois cargos na prefeitura de Senador Guiomard. O primeiro era o de secretária de Ação Social. Desse, ela se desincompatibilizou em tempo hábil. O outro era o de secretária do Fundo de Assistência Social do município. Esse, ela botou na conta do esquecimento e esperava passar incólume diante da Justiça Eleitoral, o que lhe garantia um bom salário no fim do mês.

No ato de sua candidatura, Marilza afirmou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que era “do lar” e apresentou documentos que comprovavam a desincompatibilização do primeiro cargo. Mas eis que, segundo comenta-se na cidade, alguém informou ao TRE a data, o número, a página e o parágrafo do Diário Oficial em que constava sua nomeação no segundo cargo. Não deu outra. A candidatura de Marilza subiu no telhado!

A ação vem sendo creditada ao grupo da deputada-missionária e candidata à reeleição, Antônia Lúcia (PSC). A parlamentar teria sido uma das mais prejudicadas por Marcio Bittar, Gladson e Petecão. Aliás, Antônia Lúcia quase não conseguiu emplacar o nome do bispo José, da Igreja Evangélica Casa da Benção. Bittar registrou o nome da jornalista Silvânia Pinheiro para o cargo em detrimento ao do indicado pela missionária. Só depois que Silvânia desistiu, foi que o bispo José teve o nome registrado no TRE.

Até a publicação deste texto, não havia sido divulgado quem deve assumir a vaga deixada por Marilza Gomes na chapa de Gladson e Bittar. Os prazos são curtos e os pretendentes são muitos. Agora só resta esperar para saber qual será o novo passo dos principais lideranças de oposição para as eleições deste ano.

Fonte: Aquiry Noticias