Com a decisão do TRE, Cameli terá que indicar um novo nome que terá que passar, novamente, pelo crivo do TRE.

Marilza Gomes (PSDB), esposa do prefeito de Senador Guiomard James Gomes (PSDB).
Marilza Gomes, esposa do prefeito de Senador Guiomard James Gomes (PSDB).

A tão disputada vaga de primeira-suplência do candidato ao Senado, Gladson Cameli (PP), está vaga. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou a candidatura de Marilza Gomes (PSDB), esposa do prefeito de Senador Guiomard James Gomes (PSDB). Marilza teria prestado informações falsas à corte e não havia se desincompatibilizado de função pública dentro do prazo previsto em lei.

Marilza declarou ao TRE que não exercia função pública alguma e que era “do lar”, mas uma pesquisa mais aprofundada revelou que ela era nomeada como secretária do Fundo de Assistência Social da prefeitura de Senador Guiomard desde janeiro deste ano. Portanto, havia prestado informações falsas ao TRE.

Como continua nomeada, Marilza não pode concorrer a cargos políticos, haja vista que a legislação veda a participação de funcionários públicos ou detentor de cargo de confiança em pleitos eleitorais, conforme a lei complementar nº 64/1990. Marilza se tornou inelegível para estas eleições.

Cargo disputado

O cargo pretendido por Marilza Gomes, o de suplente de Gladson Cameli, tem sido um dos mais disputados nessas eleições. Inicialmente, ele foi prometido ao procurador de Justiça Edmar Monteiro, que chegou a se afastar do Ministério Público Estadual para disputar as eleições de outubro. Entretanto, o senador Sérgio Petecão (PSD) reivindicou o cargo para si e indicou Marilza para a disputa, desagradando aqueles que defendiam o nome Monteiro. O caso ficou conhecido como mais uma das tantas rasteiras registradas na oposição. Gladson calou-se e aceitou a imposição de Petecão.

Com a decisão do TRE, Cameli terá que indicar um novo nome que terá que passar, novamente, pelo crivo do TRE.

Para saber mais sobre a disputa, acesso o link abaixo:

Petecão cresce o olho, Gladson afrouxa e Edmar desiste de suplência ao Senado