Rampa está com uma abertura de quase 50 cm, em Cruzeiro do Sul. Suframa e administração do porto podem ser atingidos por erosão.

Vanísia NeryDo G1 AC

Desbarrancamento pode atingir prédios da administração do porto e da Suframa (Foto: Vanísia Nery/G1)
Desbarrancamento pode atingir prédios da administração do porto e da Suframa (Foto: Vanísia Nery/G1)

O porto do município de Cruzeiro do Sul, localizado no bairro do Remanso, apresenta sinais de desbarrancamento desde a última cheia do Rio Juruá, que ocorreu no início deste ano. A rampa onde ancoram as embarcações com mercadorias está com uma abertura de aproximadamente 50 centímetros.

Diariamente, caminhões e outros tipos de veículos utilizam a rampa para desembarcar as mercadorias que chegam de Manaus (AM) no porto. Para tentar amenizar os problemas, um pedaço de uma chapa de ferro foi colocada no espaço pelos motoristas, para que os veículos pudessem atravessar na abertura da rampa, causando, dessa forma, um grande risco.

Um motorista do município, que preferiu não se identificar, contou que existe uma grande preocupação da classe com o perigo que a rampa atualmente oferece.

“Nós precisamos passar por aquela rampa diariamente, e desde o começo do ano está daquele jeito. Eles prometeram que iam consertar no verão e até agora não fizeram nada, daqui a pouco esse barranco vai quebrar tanto que vai acabar chegando lá na estrutura do porto”, falou o caminhoneiro.

Embarque e desembarque de mercadorias pode ficar prejudicado (Foto: Vanísia Nery/G1)Embarque e desembarque de mercadorias pode ficar prejudicado (Foto: Vanísia Nery/G1)
c

Próximo ao barranco fica localizada a base da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e a administração do porto, que podem ser atingidas com o desbarrancamento nas próximas enchentes. O desbarrancamento atinge toda lateral da rampa, em decorrência da mudança do curso do rio.

De acordo com o gerente de infraestrutura do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre), em Cruzeiro do Sul, Sócrates Guimarães, o departamento deve esperar até o próximo mês para tomar uma medida em relação ao local.

“Vamos esperar até o dia 15 de julho para o rio se normalizar e analisar qual o melhor trabalho a ser feito no local, sendo que já tentamos várias alternativas e nada deu certo. No próximo mês, quando o rio estiver mais baixo, nós iremos fazer uma avaliação”, explicou o gerente.

O Porto Cruzeiro do Sul foi inaugurado em 2004 e, desde então, nunca passou por nenhuma reforma.