Madeiras serão usadas em fogueira de São João por centro de Daime. Representante repudia denúncia e diz que atividade está dentro da lei.

Área é de preservação permanente e precisa de autorização para a derrubada de árvores (Foto: Reprodução/TV Acre)
Área é de preservação permanente e precisa de autorização para a derrubada de árvores (Foto: Reprodução/TV Acre)

O Ministério Público do Acre (MP-AC) vai investigar se membros do Daime (doutrina religiosa que tem como base o uso do chá de ayahuasca) cometeram crime ambiental com a retirada de árvores de uma Área de Proteção Ambiental, para a construção de uma fogueira de quatro metros, tradicional na celebração de São João.

“Vamos instaurar um procedimento e requisitar uma investigação para averiguar se realmente ocorreu ilegalidade. Havendo a ilegalidade, as infrações ambientais podem ser civil, administrativa e penal. Requisitei em caráter de urgência, normalmente o Ministério Público requisita com prazo de 10 dias, mas naquela situação se está na iminência de se destruir o objeto do crime. Acredito que até sexta-feita receberemos um retorno dos órgãos ambientais”, disse.

Em nota, o representante do Alto Santo, no Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental Raimundo Irineu Serra  (Aparis), Antônio Alves, repudia a denúncia e diz que a atividade está dentro da lei. Ele diz ainda que nunca houve uso de madeira ilegal.

“A fogueira é tradição da comunidade, há mais de 60 anos. São usadas árvores de capoeira, de crescimento rápido, que não tem valor comercial nem aproveitamento industrial: faveiro, mulungu, freijó, poleiro-de-urubu etc. Este ano, um faveiro de maior porte foi usado pois estava inclinado e ameaçando desabar sobre um patrimônio histórico –o túmulo do Mestre Irineu- e sua retirada foi solicitada pelo proprietário do terreno em que se encontrava, que já havia obtido anteriormente autorização da Prefeitura. Não há –nem nunca houve- uso de madeira de lei ou de espécies protegidas”, afirma.

Entenda o caso

A equipe da TV Acre flagrou, no último domingo (15), vários troncos de árvores separados dentro de um centro de Daime, localizado na estrada Irineu Serra. O local também faz parte de uma Área de Proteção Ambiental (APA), em Rio Branco. De acordo com os moradores, o material será usado para construir uma fogueira de mais de 4 metros para comemorar o Dia de São João, uma tradição religiosa do centro.

Colaborou Leandro Manhães, da TV Acre G1.