“Quem sou eu para crucificar A ou B?”, questiona treinador do Atlético-AC. Sem contrato com o clube, ele aguarda reunião com diretoria celeste para definir futuro

Por GloboEsporte.comRio Branco, AC

Treinador do Galo Carijó diz que fecha os olhos e vê as imagens da decisão (Foto: Nathacha Albuquerque)
Treinador do Galo Carijó diz que fecha os olhos e vê as imagens da decisão (Foto: Nathacha Albuquerque)

 

 

 

 

Zé Marco diz que desejo é seguir no comando do Atlético-AC para disputa do Campeonato Brasileiro da Série D

placido_x_atletico-ac_-_foto_jp_23Ainda sem dormir por volta das 15h desta quarta-feira (11), desde o fim da decisão do Campeonato Acreano, disputada na noite de terça-feira (10), no estádio Arena da Floresta, e sem acreditar no desfecho que teve a partida, principalmente no lance que resultou no segundo gol do Rio Branco no empate por 2 a 2 no tempo normal, que levou a disputa para a prorrogação e depois para os pênaltis, terminando com o título do Estrelão após vitória por 3 a 2, o técnico Zé Marco, do Atlético-AC, disse que a derrota foi muito mais dolorosa pela forma como ocorreu.

– Foi muito dolorosa, mais pela forma que aconteceu do que pela derrota em si, que faz parte da nossa profissão. Mas, vida que segue, e vamos procurar digerir isso o mais rápido possível. Ainda não dormi. Estou desde cheguei em casa ontem, depois do jogo, virado na frente da televisão só assistindo programas sobre a Copa do Mundo. Não cheguei nem a deitar na cama, para falar a verdade. Tento fechar os olhos no sofá, mas começo a ver todos os lances da partida e foi impossível dormir até agora. Primeiro, por tomar o empate aos 38 do segundo tempo, e depois pelas sequência de pênaltis. Foi frustrante nos dois sentidos – lamenta.

O treinador insere ainda nas frustrações o fato do Atlético-AC ter terminado a competição invicto, com seis pontos a mais que o Rio Branco, mas mesmo assim não ter levantado o troféu. Ele lembra que o regulamento da competição foi aprovado por todas as equipes, mas espera que nos próximos anos as posições sejam revistam para não os times que realmente trabalham para disputar o título do estadual não sejam “punidos” como foi o Galo Carijó.

– Incluiria nessa frustração o fato de o Atlético-AC ter terminado a competição invicto, com seis pontos a mais que o Rio Branco, e não conseguiu sagrar-se campeão. Então, temos que rever algumas coisas. Não estamos aqui lamentando, mas fica o desabafo para que nos próximos anos não sejam punidos pelo regulamento quem realmente está querendo evoluir o futebol o nosso profissional do Acre – argumenta Zé Marco.

O treinador, que trabalhou sem qualquer contrato assinado durante o Campeonato Acreano, conta que ainda não conversou com a direção do time celeste para definir o seu futuro no clube, mas garante que o desejo é de permanecer para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D.

– Saí muito chateado depois do jogo ainda não tive nenhum contato com ninguém da diretoria. Estou aguardando também, pois antes de qualquer coisa tenho que ver a minha situação. Trabalhei o estadual todinho sem contrato, simplesmente pela confiança no meu trabalho e no grupo que montei. O desejo é dar sequência no trabalho, que até o momento é bom. Apesar da perda do título, acredito que não perdemos todo o mérito do trabalho feito nesses quatro meses e espero que haja o reconhecimento da diretoria para que possamos sentar e conversar, primeiro para resolver se vamos dar continuidade ou não no meu trabalho e, na sequência já fazer o planejamento para o Campeonato Brasileiro da Série D, se for o caso – diz.

Zé Marco afirma que ainda não conversou com o goleiro Máximo, responsável pela lambança que resultou no gol de empate do Rio Branco, pessoalmente, mas recebeu uma ligação do arqueiro por volta do meio-dia desta quarta. Ele afirma que não crucifica o atleta por causa da falha e que tentou confortá-lo, pois demonstrava muito abatimento e mágoa pelo ocorrido.

Goleiro faz lambança em final no AC, cede empate e vê rival levar taça (Foto: Reprodução/ Tv Acre)Maximo perde a bola para Sander no gol de empate do Rio Branco; lance custou caro e título do Campeonato Acreano escapou do Atlético-AC nas cobranças de pênaltis (Foto: Reprodução/ Tv Acre)
h

– Ele me ligou, ainda muito abatido, para pedir desculpa, com muita tristeza, muita mágoa no coração por tudo que aconteceu. Quem sou eu para crucificar A ou B? Procurei confortar o coração dele também, por que se os nossos estão sangrando, temos que nos colocar um pouco no lugar dele para ter o mínimo da dimensão de como também está. Agora, acabou o estadual e vamos sentar com a diretoria, rever tudo que foi feito ao longo desses quatro meses e procurar tirar proveito dessas situações para nos fortalecermos ainda mais para a disputa do Brasileiro – finaliza.