O último a Saber Foi Flaviano

 Coluna Poronga 

poronga3 (1)

No dia do lançamento da deputada Antônia Sales como vice de Marcio Bittar, em Cruzeiro do Sul, o deputado federal Flaviano Melo desceu do avião direto para Mâncio Lima, levado pelo vereador Manoel, presidente da Câmara, até a casa do prefeito e correligionário Cleidson Rocha.

Indigestão

Na casa do alcaide foi servido o almoço, e, entre uma colherada e outra, Flaviano perguntou: “Prefeito, você ouviu falar dessa conversa da candidatura do Vagner Sales a deputado federal?”. Resposta na lata: “O Vagner já anunciou”.

O último a saber

Flaviano quase caiu da cadeira. E por muito pouco não teve um passamento. Mandou ligar para o prefeito de Porto Valter, para saber a posição dele. O prefeito Zezinho “Desgastado” Barbary desconversou: “É, tenho que ver como vai ser…”. Flaviano terminou a refeição em silêncio.

Traído

O presidente do PMDB era o traído do dia: Vagner decidiu tudo, negociou alto, e deixou Flaviano saber dos fatos pelos boatos da rua.

Leitura

Vagner Sales acredita que é mais fácil ocupar uma vaga com o filho para deputado federal. Argumento dele: Gladson, Thaumaturgo, Henrique, Perpétua e Marcio Bittar não disputarão mandato de federal. Ou seja, tem uma avenida para crescer. E o amigo Flaviano? Ah, o Flaviano, que se dane…

Cobra engolindo cobra

Para o leitor entender o enredo: o candidato ao senado Gladson Cameli (PP) prometeu ao senador Sérgio Petecão (PSD) que a vaga da primeira-suplência seria uma indicação dele, Petecão.

Outra vez, senador?

Ocorre que, num outro movimento, Petecão resolveu lançar a mulher candidata a deputada federal e, dessa forma, indicaria outra pessoa para a mesma vaga da suplência ao Senado.

A multiplicação

Entre promessas, disse-me-disse e muitos salamaleques, o deputado Gladson prometera a mesma vaga para o procurador de Justiça Edmar Monteiro. Ora, amigo leitor, só existe uma primeira-suplência…

Quebra de acordos e palavras

Membros da aliança de oposição acusam o senador Petecão de alta traição, pois, segundo eles, a referida primeira-suplência já estava assegurada para a mulher do prefeito do Quinari, James Gomes (PSDB).

Promessas, promessas…

Essa ópera bufa começou com o deputado Gladson, que agora se esforça para deixar suas digitais fora da confusão. Segundo aliados de Petecão, a tal suplência pertenceria ao senador. O deputado prometeu a mesma para o procurador de “enxerido”, uma vez que já estava tudo acertado.

Marmota

Cameli desconversa, sequer explica por que prometera ao procurador Edmar a dita suplência. O procurador, vítima real das maquiavelices do deputado Gladson, nada tem a ver com essa marmota política. Deus nos livre, Arnaldo!

A trairagem é geral

Segundo um astuto dirigente tucano, a coisa toda na oposição cumpre o que diz o velho ditado: é cobra engolindo cobra. Na aliança de Bittar, ninguém confia em ninguém – lá são todos na base do “cada um por si”.