Comitiva discute a integração por meio da rota aérea Rio Branco – La Paz

Por Miriane Teles 

reuniao_setul_amaszon_foto_luciano_pontes-1-300x206O voo de La Paz para Rio Branco demora em média uma hora – um deslocamento rápido e tranquilo. E para que essa opção seja uma possibilidade concreta, assim como o voo de Rio Branco a Cuzco, no Peru, uma comitiva de empresários e autoridades bolivianas, peruanas e estaduais se reuniu nesta manhã, na Secretaria de Estado de Turismo e Lazer (Setul), a fim de iniciar o diálogo para que a possibilidade de integração entre os países seja concretizada.

A ideia é de que os voos internacionais sejam oferecidos três vezes por semana, cada um trazendo 50 passageiros. O presidente executivo da Linha Aérea Amaszonas, Sérgio Urloste, afirma: “O destino Rio Branco vai qualificar nosso plano de voo, da mesma forma que cremos que vá atender ao público de estudantes e familiares que se deslocam entre os países vizinhos, e criar um mercado consumidor, que pode utilizar essa rota para turismo e até ir para outros continentes, como a Europa”.

reuniao_setul_amaszon_foto_luciano_pontes-6-300x183O superintendente da Infraero, Jailson Mendes, ressaltou que já estão em andamento reformas da estrutura do Aeroporto Internacional de Rio Branco. A delegada Maíra Neri, da Receita Federal, alertou sobre a adequação das normativas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e sobre logística e as condições para o trabalho adequado da alfândega. Para que o início da operação continue em progresso, foi montado um grupo de trabalho integrado pela Anvisa, os cônsules dos respectivos países e a Secretaria de Desenvolvimento Florestal da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens).

A secretária de Estado de Turismo, Rachel Moreira, destaca que essa ação é importante para o avanço do turismo: “Estamos dando mais um passo na integração da nossa tríplice fronteira. A conectividade aérea é importante para consolidar o turismo, porque permite o acesso de pessoas e a maior divulgação de nossas potencialidades”.

Foi apresentado o incentivo da desoneração do ICMS do combustível pelo representante da Sedens, Jair Santos. ”A integração aérea é uma necessidade para nosso desenvolvimento, para transitar mais pessoas e cargas, atrair investidores e mercados, um benefício em longo prazo para o estado, por isso a desoneração é um facilitador que foi bem recebido pelos empresários”, diz Santos.