Atividades ficam interrompidas durante esta quarta-feira (21).

Greve vai depender da mobilização da categoria, diz presidente da Adufac.

Caio FulgêncioDo G1 AC

Docentes da Ufac aderiram paralisação nacional nesta quarta-feira (21) (Foto: Caio Fulgêncio/G1)

ufac_001Os professores da Universidade Federal do Acre (Ufac) aderiram à paralisação nacional e estão com os serviços interrompidos durante esta quarta-feira (21). De acordo com a Associação dos Docentes da Ufac (Adufac), as reivindicações são a reestruturação da carreira docente, valorização salarial, melhoria das condições de trabalho e autonomia da universidade.

Segundo o presidente da Adufac, Gilberto Melo, a paralisação serve para defender, além de melhorias na carreira, um projeto de universidade com financiamento público. “A gente percebe que a categoria está se mobilizando para a luta. Estamos defendendo um projeto de universidade pública com financiamento público e, por conseguinte, um projeto de sociedade alternativo a esse que nós temos”, afirma.

Melo lembra que às 15h, desta quarta-feira (21), haverá uma discussão no auditório da Adufac a respeito do Plano Nacional da Educação, com foco no financiamento da educação. “É fundamental a gente compreender como é que o novo plano, que já está praticamente votado, coloca a questão do financiamento público, que acaba entrando na dimensão do privado, como é que isso afeta a vida das universidades e da sociedade como um todo”, acrescenta.

Possibilidade de greve
O presidente da Adufac explica ainda que sobre a possibilidade de greve, uma assembleia será realizada com a categoria na sexta-feira (23). Após essa reunião, serão levadas as discussões no Acre para o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), que negociam com a Secretaria de Ensino Superior (Sesu).

“A entrada ou não na greve vai depender muito da mobilização da categoria, tanto a nível nacional quanto a nível local”, finaliza Gilberto Melo.

Técnicos Administrativos
Desde o dia 17 de março deste ano, os técnicos administrativos da Ufac deflagraram greve. Dentre as reivindicações da categoria estão o adiantamento de 10% do acordo firmado durante a greve de 2012. Além, de mais 10% do PIB para a educação, racionalização de  cargos, isonomia salarial e reposição dos aposentados na tabela.