“Se você tiver oportunidade, leia para os seus filhos. Crie na criança o gosto pelo novo. Falta às pessoas incentivarem a seus filhos a lerem mais”.

O jovem Hiago durante toda a vida foi aluno da rede pública de ensino/Fotos: Wania Pinheiro/Agência ContilNet
O jovem Hiago durante toda a vida foi aluno da rede pública de ensino/Fotos: Wania Pinheiro/Agência ContilNet

Hiago, de fala moderada e jeito simples, morador de Sena Madureira, comemorou na última segunda-feira (12) o início do que ele denomina um grande sonho: o primeiro lugar no curso de Letras Inglês pela Universidade Federal do Acre (Ufac), que marcará a efetivação de algo que ele já vive na prática, o caminho para ser um poliglota.

O nome dele é Hiago Martins Costa, 20 anos. Apesar da pouca idade, ele tem uma vida dedicada à literatura.

Aprendeu inglês sozinho, com o incentivo do pai, estudou a vida inteira em escola pública e sonha em contribuir para um futuro em que existam jovens mais comprometidos com a educação, com a história, literatura, e dispostos a construir uma vida melhor.

“Quando as pessoas descobrirem como é bom uma boa literatura, irão se redescobrir. Acho que nossa juventude tem preguiça de ler porque não foi incentivada a gostar da literatura”, declara.

Hiago, que já fala inglês fluente, diz esperar que a academia lhe abra outras oportunidades com o domínio pleno da língua e da gramática.

“Em um mundo globalizado como o que vivemos, saber inglês é fundamental e pode abrir muitas portas também. Não pretendo me ater, apenas, a dar aulas, apesar de gostar da ideia. Estou aberto a novos horizontes”, diz.

O jovem, que durante toda a vida foi aluno da rede pública de ensino, diz em nunca encontrou dificuldades em avançar em sua vida acadêmica.

“Tem mais a ver com esforço próprio do que com a escola que você frequenta. Eu sempre fui incentivado em casa a me dedicar a tudo que faço e isso sempre rendeu bons resultados”, diz.

O que Hiago chama de incentivo da família pode ser expresso através da atitude do pai dele, Hermano Filho que, ao ver o interesse do filho pelo inglês, o presenteou com uma enciclopédia Barsa 16 volumes, contendo curso de inglês mais dicionário.

O presente foi o suficiente para Hiago aperfeiçoar o talento natural para a língua estrangeira e para optar pela graduação na Universidade Federal.

“Um dia, um professor de inglês estava hospedado na nossa casa e eles conversaram por horas e eu vi que ele, realmente, estava aprendendo sozinho. Fiquei maravilhado com o empenho e o talento dele”, diz o pai.

Apaixonado por literatura em geral, o jovem senamadureirense diz que leu a primeira grande obra aos 11 anos de idade, quando se deparou com o livro ‘O Mundo de Sofia’, romance de Jostein Gaarder, publicado em 1991 e já traduzido para mais de 50 idiomas.

“Desde então, eu leio tudo que posso. Aprendi a amar literatura”, diz.

Questionado sobre a falta de interesse da grande maioria dos jovens pela literatura, Hiago diz lamentar e afirma que é uma pena que cada vez mais, haja acomodação com relação a busca de conhecimento.

O jovem atribui o fato, também, à falta de incentivo.

“Se você tiver oportunidade, leia para os seus filhos. Crie na criança o gosto pelo novo. Falta às pessoas incentivarem a seus filhos a lerem mais”, declara.

Para Hiago, há um certo mito sobre a qualidade da literatura, fato que ele denomina de elitização desnecessária.

“Tem um mito sobre o que é ser intelectual. Ficam dizendo o que você deve ler e não incentivam a pessoa a gostar daquilo. Acho ridículo ficarem dizendo: leia isso, leia aquilo, quando eles nem mesmo sabem do que estão falando. Acho importante ensinar a ler de tudo, mesmo que seja Harry Potter. O importante é aprender a interpretar, questionar, ler nas entrelinhas”, afirma.

hiago com ginaO jovem senamadureirense foi o primeiro colocado no curso de Letras Inglês, na Universidade Federal do Acre

 

Hiago Martins opina que as empresas e instituições buscarão, cada vez mais, pessoas capazes de questionar, buscar respostas, liderar, e que, para tanto, é necessário não apenas o preparo acadêmico, como também o gosto pela literatura e a busca de diversas outras informações.

“A pessoa que domina a linguagem, a língua, é uma pessoa que formula ideias com mais clareza. Ela consegue se achar melhor no mundo e isto a torna a mais interessante para o mercado de trabalho”, opina.

hiago ocm o paiHiago teve a companhia do pai, Hermano, e da irmã, Amanda, no seu primeiro dia na UfacGina Menezes, Da Agência ContilNet