Mortes ocorreram entre 2007 e 2010, segundo levantamento da Ahac. 

Veriana RibeiroDo G1 AC

Em luta contra homofobia, marcha foi realizada neste sábado (Foto: Júnia Vasconcelos / Arquivo Pessoal)
Em luta contra homofobia, marcha foi realizada neste sábado (Foto: Júnia Vasconcelos / Arquivo Pessoal)

Neste sábado, associação realizou marcha em combate a homofobia.

Um levantamento de crimes homofóbicos foi realizado pela Associação de Homossexuais do Acre (Ahac). Segundo a instituição, entre 2007 e 2010, foram registrados seis casos de homicídios envolvendo homossexuais. Entre 2008 e 2011 foram quatro casos de agressões e espancamentos a cidadãos LGBTs notificados, mas o número pode ser maior, devido a falta de denúncias. 

Em combate a este tipo de crimes, a Ahac realiza neste sábado (17) a ‘I Marcha da Cidadania LGBT contra a Homofobia’ do Acre, que teve início em frente ao Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Acre (Sebrae), no Centro de Rio Branco, e seguiu até o Mercado Velho, onde ocorreram apresentações artísticas.

Segundo o presidente da Ahac, Germano Marino, existe um aumento na discriminação aos homossexuais que precisa ser combatido. “Como aqui tem acontecido atos discriminatórios, que vai desde a violência, insultos e assassinatos, nós estamos mais do que nunca nos apropriando para estar marchando contra a homofobia e a violência. Não apenas os homossexuais, mas todos aqueles que comungam por uma cultura de paz”, afirma.

Neste sábado, também é comemorado o Dia Nacional de Combate à Homofobia. Na data, a Organização Mundial de Saúde (OMS), retirou a palavra homossexualismo do Código Internacional de Doenças (CID), em 1990. Para Marino, a comunidade LGBT ainda precisa lutar por direitos iguais. “Por conta de alguns processos fundamentalistas, que estão empurrando as pessoas para uma marginalização no Brasil, os cidadãos LGBTs ainda são considerados de segunda categoria, porque ainda temos que buscar por leis para ter direitos iguais”, diz.

A associação, em parceira com diversas outras entidades, está elaborando dossiê de crimes envolvendo cidadãos LGBT´s. O documento fará parte da campanha ‘Contra a Violência e Impunidade dos Crimes Homofóbicos’, que deve ser lançada no mês de novembro deste ano. A ação pretende cobrar de áreas específicas ações de prevenção, proteção e promoção no enfrentamento à discriminação por ser homossexual.

Marcha acreana contra a homofobia, em Rio Branco (Foto: Júnia Vasconcelos / Arquivo Pessoal)Marcha acreana contra a homofobia, em Rio Branco (Foto: Júnia Vasconcelos / Arquivo Pessoal)