Capitão da equipe, Thiago diz que dirigentes do clube fizeram diversas promessas, mas não cumpriram. segundo ele, jogadores ainda não receberam salários de 2014

Thiago só encontra com elenco de sua equipe nos dias de jogos (Foto: Duaine Rodrigues)

img_7273_3A situação do Alto Acre no Campeonato Acreano 2014 se complica cada vez mais rodada após rodada. Depois de mais um resultado negativo ao ser atropelado pelo Vasco-AC na noite desta terça-feira (13), por 7 a 1, no estádio Arena da Floresta, o Papagaio da Fronteira tem apenas mais quatro jogos para tentar sair da zona da degola e se manter na elite do futebol estadual para a temporada 2015.

No entanto, pelo panorama descrito pelo goleiro Thiago, 26 anos, capitão do time de Epitaciolândia, é difícil acreditar que a situação possa ser modificada para melhor em um futuro próximo. Ainda no gramado da Arena da Floresta, o camisa 1 disse que os jogadores precisam ser homens e honrar as cores da equipe e criticou os responsáveis pela condução do clube que, segundo ele, prometeram, mas não cumpriram.

– Temos que levantar a cabeça e ir até o final. Temos que ser homens. Fizemos um acordo com o Alto Acre, assinamos contrato e estamos indo até o fim. Agora, tem pessoas lá que prometeram mundos e fundos e não fizeram nem um por cento do que falaram. Vamos honrar até o final a camisa do Alto Acre. As coisas que começam erradas, terminam erradas, dificilmente mudam no meio do caminho. Disseram que iam trazer jogador, comissão técnica, profissionais da parte física e técnica e isso não foi cumprido. Isso não é desculpa, pois quando entramos dentro de campo temos que fazer o nosso melhor. Só que as coisas, muitas vezes, não acontecem como queremos. Fisicamente não estamos bem. Tecnicamente falta muito – afirmou.

O jogador ressalta o esforço dos atletas para defenderem a equipe em campo e diz que alguns ainda não receberam nenhum salário do clube na atual temporada.

– O meu acordo foi com outra pessoa e não com o Passos (João Carlos, presidente). Pelo que eu saiba meus companheiros não receberam nada até agora. Prometeram um monte de coisas e não cumpriram nada. Para estarmos aqui no jogo viemos de carro próprio, emprestado. Fizemos um esforço – comenta.

Thiago mora em Xapuri, município a quase 50 km de Epitaciolândia, sede do Alto Acre, e não participa dos treinamentos com a equipe, somente encontrando com a equipe nos dias de jogos. Ele conta que o time não tem a preparação adequada para participar da competição, mas ainda acredita que é possível evitar a queda para a segundona.

– Ainda temos chances, mas a gente não faz gol. Não temos preparação nenhuma. Não se faz um treinamento, não se faz nada adequadamente. Não sei nem se estão treinando em Epitaciolândia. Eu não vou por que, sair de Xapuri, chegar lá, soltar a bola no meio de campo e não fazer nada, não compensa. Prefiro ficar em Xapuri, treino a parte física. Quando dá, pego um goleiro de lá e faço um trabalho técnico. Trabalho também na academia e venho para o jogo – destaca.

Por GloboEsporte.comRio Branco, AC

GOSTOU? ENTÃO CURTA O  LIKE !