O cigarro causa a mutação das células e pode produzir câncer, doenças pulmonares, cardiorrespiratórias e cardiovasculares

Por Naliny Arantes

O cigarro causa a mutação das células e pode produzir câncer, doenças pulmonares, cardiorrespiratórias e cardiovasculares (Foto: internet)
O cigarro causa a mutação das células e pode produzir câncer, doenças pulmonares, cardiorrespiratórias e cardiovasculares (Foto: internet)

A Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2012) revela que a população de Rio Branco é composta por 15% de fumantes. O tabagismo é um importante fator de risco para o desenvolvimento de diversas doenças, como câncer, enfermidades pulmonares e cardiovasculares, de modo que o uso do tabaco continua sendo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Com base nesses dados, o governo federal oferece, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), tratamento gratuito para as pessoas que queiram parar de fumar. O programa está presente em todos os estados brasileiros. No Acre, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), em parceria com as secretarias municipais, está trabalhando e capacitando profissionais para implantar o serviço em todos os municípios. Por enquanto, o tratamento está sendo ofertado em Rio Branco, Brasileia e Cruzeiro do Sul.

Nas cidades onde existe o tratamento, há, nos centros de saúde, profissionais especializados em ajudar o paciente que deseja largar o vício. As equipes são compostas de médicos, enfermeiros e psicólogos que promovem reuniões de grupo com os fumantes para ajudá-los a deixar de fumar.

O cigarro tem mais de 4,7 mil substâncias tóxicas e é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças pulmonares, cardiovasculares e cancerígenas. O médico Cléber Aguiar afirma que os fumantes têm mais monóxido de carbono saturado na corrente sanguínea e menos quantidade de oxigênio. Ocorre que a nicotina endurece as artérias e a fumaça quente ingerida queima os pulmões, causando problemas.

O médico explica, ainda, que, com o enrijecimento das artérias dos fumantes, o sangue e o oxigênio circulam com dificuldade, causando a hipertensão. Então, a pessoa inspira o ar, mas não consegue expirar, devido aos elementos tóxicos do cigarro, causando enfisema pulmonar.

De acordo com Aguiar, o hábito de fumar altera, ainda, o paladar. O cigarro vai diminuindo a sensibilidade das papilas gustativas, responsáveis pelo gosto dos alimentos por causa da fumaça quente do cigarro. “O indivíduo perde a sensibilidade na língua e coloca mais quantidade de sal e condimento nos alimentos. O que acarreta também no aumento da pressão arterial”, relata.