De acordo com informações o Pastor Eurico teria separado por não suportar o excesso de ciúme da ex-mulher.

Elvanízia ficou transtornada ao chegar na igreja e ver o ex-marido com a mão sobre a cabeça da Maria Azevedo/Foto: Selmo Melo/Agência ContilNet
Elvanízia ficou transtornada ao chegar na igreja e ver o ex-marido com a mão sobre a cabeça da Maria Azevedo/Foto: Selmo Melo/Agência ContilNet

Cobrindo o rosto com os cabelos longos para não ser identificada, a ex-mulher de um pastor identificado por Eurico, que faz parte de uma tradicional igreja evangélica, foi presa neste sábado (3) após tentar matar a dona de casa Maria Nascimento de Azevedo, 44 anos.

O motivo da tentativa de homicídio, que aconteceu na rua Álvaro César, no bairro João Eduardo, teria sido ciúmes, informa um policial do 3º Batalhão da Polícia Militar.

Elvanízia, como foi identificada a acusada, ficou transtornada ao chegar na igreja e ver o ex-marido com a mão sobre a cabeça da fiel Maria Azevedo, fazendo uma oração.

Indignada, Elvanízia foi embora. A depois de algumas horas foi até a casa de Maria e quando ela apareceu, encostou um revólver calibre 32 na sua cabeça e apertou o gatilho, por sorte a arma não disparou.

mulher do pastorsA vítima foi levada para o Huerb com graves ferimentos no pulmão e em uma das artérias

 

Inconformada, Elvanízia disparou a arma outra vez, atingindo Maria Azevedo com um tiro no ombro, que teria alcançado, também, o pulmão e uma artéria importante do corpo da vítima.

Ela teria disparado um terceiro tiro, mas também não acertou a vítima, que foi encaminhada ao pronto socorro do Hospital de Urgência e Emergência em estado grave.

Em seguida, a acusada saiu correndo, mas foi detida por um filho de Maria, que no momento chegava a sua casa.

Vizinhos contam que o pastor Eurico teria separado de Elvanízia por não suportar mais o excesso de ciúme da ex-mulher. “Ela estava atrapalhando a missão dele, que é um grande líder em uma igreja evangélica”, conta uma vizinha.

Elvanizia foi presa por policiais militares do 3º Batalhão e conduzida a Delegacia Especial de Atendimento a Mulher – DEAM onde deverá ser autuada por crime de tentativa de homicídio e porte ilegal de arma.

Da Redação Da Agência ContilNet