Pedro Pascoal passou mal na viatura de polícia, quando estava sendo conduzido ao presídio de Rio Branco.

Condenado a 20 anos, Pedro Pascoal ficará no mesmo presídio do irmão Hildebrando
Condenado a 20 anos, Pedro Pascoal ficará no mesmo presídio do irmão Hildebrando

Depois de ter sido condenado a 20 anos de prisão, em 2009, e de ter recebido a ordem de prisão, nesta sexta-feira (25), após entrar com os recursos cabíveis ao caso, o irmão do ex-deputado Hildebrando Pascoal, Pedro Pascoal, continua internado na Santa Casa, em Rio Branco.

Ele foi condenado pela morte do adolescente Wilder Firmino dos Santos, de 13 anos, em julho de 1996. Filho de Agílson Firmino dos Santos, vulgo “Baiano”, o menor, que sofria de problemas mentais, teve pernas e braços decepados por uma motosserra.

De acordo com a denúncia, o garoto foi tirado de sua casa por Pedro Pascoal, que na ocasião estava acompanhado do soldado Cristim, do Corpo de Bombeiros Sebastião, que foi executado como queima de arquivo, meses depois, pelo próprio esquadrão.

Pedro Pascoal exigia do garoto informação sobre o paradeiro de “Baiano”; como ele não sabia, foi torturado. O garoto teve as costelas quebradas e ácido jogado no rosto, e recebeu um tiro de misericórdia desferido por Pedro Pascoal.

O caso foi denunciado no ano de 1999, pelo presidente do TJAC, e a partir daí, alguns membros do esquadrão da morte foram presos, inclusive, Hildebrando Pascoal.

Pedro Pascoal passou mal na viatura de polícia, quando estava sendo conduzido ao presídio de Rio Branco. De acordo com informações, ele deverá cumprir a pena no presídio Antônio Amaro, onde se encontra seu irmão.

Da Redação Da Agência ContilNet