Total desmando que reinava durante os governos corruptos da oposição acreana, particularmente

Por Romerito Aquino – Jornalista

240414_trio

Acabo de saber que o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) e os deputados federais Márcio Bittar e Gladson Cameli estão visitando o presídio de Rio Branco atrás de irregularidades para denunciar o atual governo do Acre.

Tão logo a notícia se espalhou na cidade, muitas pessoas começaram a questionar a presença dos três parlamentares da oposição investigando o sistema de segurança pública do estado.

Isso porque, nas memórias dos acreanos de bem ainda estão frescas as lembranças que apontavam o total desmando que reinava na segurança pública durante os governos corruptos da oposição acreana, particularmente no que foi liderado pelo atual deputado Flaviano Melo, cujo governo roubou nada menos do que R$ 40 milhões através de sete contas fantasmas no Banco do Brasil.

A segurança pública nos governos de Flaviano Melo e de outros políticos ligados à oposição era simplesmente usada como braço armado para matar, ameaçar e torturar quem ousasse questionar a corrupção e as bandalheiras que eram feitos com os bens e recursos públicos do Acre.

A maioria da população acreana lembra que esse esquema era comandado pelo ex-deputado e coronel Hildebrando Pascoal, comandante da Polícia Militar do Acre, que transformou a instituição num grande esquadrão da morte encarregado, principalmente, de proteger os ladrões do dinheiro público de governos ligados hoje a Márcio Bittar, Gladson Cameli, Sérgio Petecão e Flaviano Melo.

A visita dos três políticos oposicionistas ao presídio de Rio Branco suscitou comentários na capital acreana de que era uma boa oportunidade para eles lá permanecerem por uns longos anos para responder por supostas ilegalidades que lhes foram atribuídas pela imprensa e por processos judiciais que alguns respondem hoje na Justiça.

Fonte: aquirynoticias.com