Civil Clécio Luiz que estava com casamento marcado para o próximo mês deixou duas cartas: uma para a mãe e outra para a noivs

2014-04-25-suicidio-320x210

O suicídio de Clécio Luiz Abreu da Silva, 32 anos, ocorrido no final da tarde desta quinta-feira (24), dentro do banheiro de casa, localizada na rua da paz no bairro Joafra pegou parentes, amigos e vizinhos de surpresa e em deixou a todos em estado de choque.

Clécio Abreu trabalhava no Departamento Financeiro do SESC Bosque e cometeu suicídio disparando um tiro de revolver calibre 38 na própria cabeça dentro do banheiro de casa, onde deixou duas cartas endereçadas, uma a mãe com que morava e outra a noiva que estava com casamento marcado para o próximo mês.

O conteúdo das cartas que ainda estão em poder da polícia civil não foi divulgado, mas de acordo com parentes e amigos, Clécio Abreu era uma pessoa querida e amada por todos e não apresentava nenhum sintoma de depressão ou algo parecido. “Ao contrário encontrávamos no Clécio um ombro amigo, um cara com as palavras certas na hora certa que fazia questão de deixar os amigos sempre de bom humor” afirmou um colega de trabalho.

A morte de Clécio Abreu, que era economista foi divulgada nas redes sociais, antes mesmo do resgate do corpo pelo IML.

E todos aparentando surpresa se perguntavam o por que, que supostamente tenha sido respondido nas cartas deixadas a mãe e a noiva.

O corpo do economista foi resgatado por peritos do Instituto Médico Legal – IML e no período da noite liberado para velório.

Redação/Ecos da notícia