Em Brasiléia: Uma Semana Após Anunciar Que Seria Secretário De Everaldo, Vereador Volta Atras E Revolta Suplente

Chiquinho Chaves

 

Vereador Naldo Rufino (SDD), esquerda e suplente Rogério Pontes (PMDB)
Vereador Naldo Rufino (SDD), esquerda e suplente Rogério Pontes (PMDB)

 

A polemica nomeação do Vereador Naldo Rufino (Solidariedade), para a secretária de Agricultura em Brasiléia, acaba de causar mais um desconforto na turma de Everaldo Gomes e Cia Ltda.

O vereador chegou a anunciar na tribuna da Câmara, no dia em que os parlamentares mirins de Brasiléia votavam pelo afastamento ou não do prefeito para investigação de denuncias de desvio de dinheiro, que estaria se afastando do legislativo municipal para assumir a pasta de Agricultura.

Ao que se sabe a estratégia foi montada por medo de que Naldo votasse com a oposição a atual administração, que de certo contabilizava cinco votos a favor do afastamento de Everaldo. E  que uma secretaria seria uma especie de cala a boca e vota comigo!

A noticia foi bem recebida pelo suplente Rogério Pontes (PMDB), que segundo informações passou o feriadão comemorando e fazendo festa com familiares e amigos, já que teria pela frente mais de dois anos e meio como vereador e realizaria um sonho pessoal e familiar.

Contudo a repercussão negativa para o lado do titular tomou conta de Brasiléia ao ponto de fazer Naldo Rufino voltar atrás de espatifar os acordos definidos e  festas  realizadas.”Eu consultei minha base, minha família e as pessoas que nos apoiaram e eles definiram que eu tinha que ficar como vereador. A gente quando se elege tem que ouvir as bases e eu tô feliz na minha cadeira de vereador!”, pontuou Rufino.

O suplente de vereador Rogério Pontes, não pode gravar conosco, mas demonstrou insatisfação com o desfecho do caso. Por telefone  informou que vai conceder entrevista a esse site e rádio na quinta-feira 24. “Ele (Naldo), tem todo direito em permanecer como vereador, ele se elegeu! Agora as pessoas precisam cumprir com sua palavra, ninguém é brinquedo pra está pra lá e pra cá!” lamentou.