A prefeitura de Brasiléia terceirizou uma empresa que está só no papel 

Por Alemão Monteiro

Foto elustrativa
Foto = ilustrativa

A Prefeitura de Brasiléia pagou na última semana de fevereiro, de FORMA SINISTRA,os salários atrasados dos operadores de máquinas e mecânico da secretaria de obras. prefeitura não tem uma legalidade na contratação destes prestadores de serviços, uma vez que eles não passaram por processo seletivo ou concurso público.

A prefeitura de Brasiléia terceirizou uma empresa para prestar serviços de limpeza, capina, vigilância e artífice, porém, esse tipo de serviço (operador de máquinas) não é oferecido pela empresa, portanto a prefeitura mantém de forma irregular esses prestadores de serviços.

Segundo um dos operadores que não quer se identificar, disse que o secretário de obras Cleudo Gadelha e o vice-prefeito Jorge da Fazenda chegaram com o dinheiro em mãos e distribuiu entre eles conforme a divisão salarial proposta pelo prefeito sem obedecer a padrões nacionais e descontando ainda 5% deste valor como forma de arrecadar o imposto devido.

As perguntas a serem feitas são as seguintes:

Qual a legalidade que a Prefeitura de Brasiléia tem e qual a forma que usou para a contratação destes operadores? 

Porque o pagamento é feito sem contracheques e ainda descontando 5% do salário? 

De que forma a Prefeitura de Brasiléia conseguiu burlar toda a burocracia e sacar esse

montante em dinheiro sem que fosse empenhado no orçamento?

Perguntas como essas vão ficando sem respostas dentro de uma administração PEEMEDEBISTA desacreditada e cometendo os mesmos erros de gestores passados

que já fizeram parte desta sigla e com pessoas que fazem o que querem com o dinheiro público.

Enquanto o Ministério Público e o tribunal de contas não se manifestarem, cenas em Brasiléia como essas chamadas de BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS vão se tornando comum diante de uma sociedade que clama por justiça.