Menina de 13 anos disse que ela e a irmã de 14 eram abusadas pelo pai.

Delegacia de Cruzeiro do Sul (Foto: Francisco Rocha/G1)
Delegacia de Cruzeiro do Sul (Foto: Francisco Rocha/G1)

Suspeito negou crime em delegacia de Cruzeiro do Sul.

A Polícia Civil prendeu na sexta-feira (24), um homem de 47 anos, suspeito de abuso e exploração sexual contra a própria filha de 13 anos, na zona rural de Cruzeiro do Sul.

A prisão ocorreu após uma denúncia anônima ao Conselho Tutelar. Ao investigar o caso, a polícia constatou que a menor estava sofrendo abuso sexual do próprio pai. O suspeito foi preso em casa e conduzido à delegacia de polícia.

De acordo com a delegada Carla Ivani de Brito, que responde pela Delegacia de Proteção à Mulher e ao Menor, a adolescente afirmou que vinha sofrendo abusos desde os dez anos de idade, e suportava a agressão porque tinha medo do pai.

Em depoimento, o homem negou as acusações, mas de acordo com a polícia exames médicos confirmaram a agressão sexual.

Ainda segundo a delegada, a menor afirmou que outra irmã, de 14 anos, fugiu de casa porque não suportou mais ser violentada pelo pai. A mãe das garotas foi morta há dois anos, mas já era separada do suspeito. Desde então, ele morava com as duas filhas e um filho, também menor de idade.

“A adolescente estava muito abalada psicologicamente, e demonstrou alívio por sido tirada da convivência e das agressões praticadas pelo pai”, afirma.

Após a confirmação dos exames, o homem foi encaminhado ao presídio local. Já a menor foi levada a um abrigo onde vai receber atendimento médico e psicológico. A polícia investiga agora se outras pessoas ligadas à família acobertavam a atitude do agricultor.

“Foi possível notar na delegacia que familiares ficaram revoltados com a menor por ter denunciado o pai, se for confirmado que parentes da vítima sabiam das agressões e não denunciaram, vão ser penalizados com a mesma pena aplicada ao suspeito que é de 8 a 15 anos de prisão”, explica a delegada.

Francisco Rocha Do G1 AC