De acordo com a polícia, o grupo ateou fogo a três autocarros e saqueou outros sete.

IMAIL=3dejulhonoticias@gmail.com

A onda de violência começou com o assassinato de um agente da polícia Foto= DENNY CESARE/AFP
A onda de violência começou com o assassinato de um agente da polícia Foto= DENNY CESARE/AFP

Dez autocarros foram destruídos esta segunda-feira na cidade de Campinas, no Brasil, depois de, durante a madrugada, 12 pessoas terem sido mortas a tiro, de acordo com a polícia local.

A onda de violência começou com o assassinato de um agente da polícia, que estava fora de serviço, de acordo com fontes policiais e relatos da imprensa brasileira.

Um porta-voz da polícia, citado pela agência noticiosa AFP, disse que estão a ser investigados vários motivos que possam explicar os tiroteios, “incluindo vingança, conflitos entre gangues rivais ou mesmo execuções levadas a cabo pela polícia”.

Um grupo de cerca de 20 pessoas, a sua maioria encapuzados e armados com paus e pedras, saqueou um terminal de autocarros, em Campinas, onde ocorreram cinco das 12 mortes registadas na última madrugada.

De acordo com a polícia, o grupo ateou fogo a três autocarros e saqueou outros sete.

Alguns dos assassinatos que ocorreram nesta madrugada foram levados a cabo por homens armados que se deslocavam em automóveis, acrescentou a mesma fonte.

“Ainda não conseguimos estabelecer uma relação entre as várias mortes. O que sabemos para já é que ocorreram na mesma área de Campinas”, a terceira maior cidade do estado de São Paulo, referiu o porta-voz da polícia.

O jornal “O Estado de São Paulo” noticia que as mortes ocorreram algumas horas depois de um polícia, que não estava em serviço, ter sido assassinado durante uma tentativa de assalto a uma bomba de gasolina.

Fonte=Jornal De Noticias