Graças aos vereadores de oposição ao Prefeito Everaldo, que acionaram o Ministério Público Estadual

Alemão Monteiro Com Chiquinho Chaves 

3dejulhonoticias@gmail.com

everaldo gomes

A exemplo de 2013 onde a Prefeitura de Brasiléia findou o ano sem ter o que comemorar diante da inoperância da administração pública municipal, 2014 também não mostra muita luz no fim aos munícipes da cidade.

Nesta terça-feira 08, o Tribunal de Contas do Estado (TCE), multou o prefeito Everaldo Gomes, o Secretário de Finanças Jacks Aroldo B. Pessoa e o Assessor Jurídico por entender que o Decreto de Emergência Administrativa, anunciado pelo atual gestor de Brasiléia no inicio de sua administração não tinha amparo legal e era objeto  tendencioso uma vez que dispensava de licitação todo tipo de compra da prefeitura.

Graças aos vereadores de oposição ao Prefeito Everaldo, que na época (janeiro de 2013), acionaram o Ministério Público Estadual, e a Promotora de Justiça Diana Soraia Tabalipa Pimentel instaurou o Inquérito Civil para apurar a situação, caso contrário os problemas que a atual gestão enfrenta que não são poucos, estariam já no seu segundo ano de administração insustentáveis. 

A multa em si parece insignificante, o assessor jurídico terá que pagar o valor de R$ 1.428,00 (um mil e quatrocentos e vinte e oito reais), mesmo valor aplicado ao secretário de Finanças  R$ 1.428,00 (um mil e quatrocentos e vinte oito reais),e ao prefeito a quantia de R$ 7.140,00 (sete mil e cento e quarenta reais), mas serve para mostrar que os órgãos fiscalizadores reconhecem o que é vontade de trabalhar e o que é sede de saquear.

Acompanhe abaixo a decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), publicada  nesta terça-feira dia 08 de janeiro de 2014.

1234